Programação

Modalidade:
Área:
Autores:
Palavra-Chave:


Resultado da busca [Siglas PR0064 a PR0073 ]
 10 Resumo encontrados. Mostrando de 1 a 10


PR0064 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Novo dispositivo de irrigação, aspiração e agitação IVAC: eficácia antimicrobiana e extrusão apical
Amorim JVO, Meneses-Júnior NS, Coelho JA, Duarte MAH, Ramos CAS, Andrade FB
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Foi recentemente lançado um dispositivo ultrassônico que permite irrigar, agitar e aspirar a solução química auxiliar durante seu uso no tratamento endodôntico, chamado Ivac. Objetivou-se comparar o Ivac com a irrigação ultrassônica passiva (PUI) na descontaminação intratubular e na extrusão de debris contaminados apicalmente. Trinta dentes humanos unirradiculados foram contaminados de forma padronizada com biofilme misto de Enterococcos faecalis e Streptococcos mutans e então submetidos aos protocolos de irrigação ambos com o irrigante inócuo soro fisiológico. Grupo 1: IVAC, vibração através de inserto plástico Peec, com aspiração simultânea pelo próprio dispositivo. Grupo 2: PUI, vibração pelo inserto metálico Irrisonic e aspiração simultânea realizada com cânula de aspiração. O material extruído durante os protocolos foi semeado para a contagem de colônias bacterianas e, após, os dentes foram seccionados longitudinalmente e analisados quanto a viabilidade bacteriana por meio do corante Life/Dead, microscopia confocal de varredura à laser e softwares apropriados. Ambos grupos apresentaram diferença estatística em relação ao controle, sendo semelhantes na descontaminação total, o G1 mais eficiente na descontaminação superficial e o G2 nas zonas profundas. Quanto à extrusão apical, Ivac apresentou resultado negativo, enquanto a PUI apresentou extrusão bacteriana em 12,5% dos espécimes.

Concluiu-se que a utilização do IVAC é promissora, visando pacientes imunologicamente comprometidos, pela diminuição de extrusão bacteriana periapical.

PR0065 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Avaliação do dano oxidativo em células de E.coli causado pela ablação a laser com ICG em comparação à aPDT
Rodrigues GWL, Freitas RN, Oliveira LC, Sivieri-Araújo G, Leonardo RT, Cintra LTA, Chaves-Neto AH, Jacinto RC
Odontologia Preventiva e Restauradora UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar o dano oxidativo causado em células de E. Coli pela ablação a laser com indocianina verde (ICG) em comparação com a terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT) utilizando azul de metileno (MB) ou curcumina (CUR). Inóclulos de E. Coli, incubados a 37 ◦ C durante a noite com densidade celular ajustada para 3 x 10 8 CFU/ml, foram inseridos em tubos de 1,5 ml e centrifugados para formações do pellet (n=50). Os pellets foram divididos em 5 grupos (n = 10): G1: MB 0,01% ativado por laser vermelho; G2: CUR 0,05% ativado por LED azul; G3: ICG 0,05% ativado por laser de diodo 2.5/300/100; G4: solução salina estéril (controle negativo) CN; e G5: NaOCl 2,5% (controle positivo) CP. Os fotossensibilizadores foram adicionados até cobrirem os pellets (50 μl) e cada amostra foi agitada em vórtex antes de serem ativados pelo laser no comprimento de onda específico. Dos homogenatos formados foram analisados o dano oxidativo lipídico pelo método TBARS (substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico) e proteína carbonilada (PC). Os dados foram submetidos à ANOVA, seguida pelo teste post hoc Student-Newman- Keuls (p = 0,05). O grupo ICG foi o único capaz de promover dano oxidativo aos lipídios apresentando diferença estatística em relação a todos os grupos. Os grupos ICG e CUR demonstraram maiores alterações na concentração de PC em relação aos outros grupos (p<0,05). O MB produziu a menor concentração de PC, sendo estatisticamente semelhante ao CN.

Conclui-se que a ablação a laser com ICG promove o maior estresse oxidativo aos lipídios e às proteinas de E.coli.

(Apoio: FAPESP  N° 2019/14995-0  |  CAPES  N° 001  |  FAPESP  N° 2018/18741-0)
PR0066 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Efeito de diferentes métodos de ativação da pasta de hidróxido de cálcio em túbulos dentários: análise por meio da microscopia confocal
Tadano JPG, Bueno CES, Silveira CFM, Yamanaka TB, Piai GG, Duarte MAH, Vivan RR, De Martin AS
Endodontia UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Avaliar a profundidade máxima de penetração (PMP) e a área de penetração (AP) da pasta de hidróxido de cálcio (CaOH2) quando agitada por diferentes métodos utilizados na agitação de irrigantes, e medir o pH do meio extrarradicular. 55 pré-molares inferiores foram divididos em 5 grupos: GL, Lentulo; GEC, Easy Clean ; GXP, XP-endo Finisher; GEDDY, VDWEDDY; e GI, Irrisonic. Os canais foram instrumentados com WaveOne Gold e irrigados com hipoclorito de sódio (NaOCl). A pasta de CaOH2 foi manipulada com propilenoglicol e rodamina B, inserida nos canais e agitada. Após 15 dias, foram obtidas secções de 1mm, a 2mm e 5mm aquém do forame. As seções foram examinadas sob microscópio confocal de varredura, e a PMP e AP foram aferidas utilizando o programa Image J. Um espécime de cada grupo foi preparado sem o corante para medir o pH. Os testes de Kruskal-Wallis e Dunn para comparações múltiplas foram utilizados para as comparações entre-grupos, e Mann-Whitney, para as comparações intra-grupo (2mm e 5mm). Os dados de pH foram submetidos ao teste Kruskal-Wallis e pós-teste Mann-Whitney. Não houve diferença significativa entre os grupos quanto à AP, em ambos os níveis radiculares. A 5mm, a PMP foi maior em GEC do que em GL e GEDDY, e maior em GI do que em GL. A 2mm, a PMP foi maior em GEC do que nos demais grupos. Tanto a AP quanto a PMP foram maiores a 5mm do que a 2mm, em todos os grupos. O pH foi significativamente maior em GEC e GI.

A agitação da pasta com o Easy Clean e Irrisonic promoveu uma penetração mais profunda do que os demais métodos. O pH extrarradicular associado à sua realização também foi mais alto.

PR0067 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Divergência entre confiança e conhecimento sobre dor não odontogênica entre endodontistas
Luiz MD, Vivan RR, Alcalde MP, Costa YM, Coelho LAS, Duarte MAH, Conti PCR, Bonjardim LR
Departamento de Dentística, Endodontia UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Avaliar a confiança e o conhecimento autorrelatados de um grupo de especialistas em endodontia em relação as dores não odontogênicas. Cento e quarenta e seis endodontistas, cadastrados na Sociedade Brasileira de Endodontia, responderam um questionário contendo questões que avaliavam a confiança e o conhecimento em relação as dores orofaciais não odontogênicas e foram divididos em 4 grupos de acordo com seu autorrelato: suficiente (S) ou insuficiente (I) e da realização (C) ou não (NC) de cursos de formação continuada na área de dor orofacial Os dados foram analisados pelo teste qui-quadrado e teste exato de Fischer (p<0,05). O nível de confiança geral auto-relatada sobre dor não odontogênica foi alto, principalmente para endodontistas que consideraram seu conhecimento sobre dor orofacial suficiente, independentemente de terem realizado (71.1% - 97.8%) ou não (35.7% - 96.4%) algum tipo de curso na área de dor orofacial. Foi verificado que o conhecimento sobre dores não odontogênicas foi baixo (0% - 42%) entre os especialistas em endodontia, exceção feita à questão sobre a conduta que eles teriam em casos de dor que persistente após o procedimento endodôntico (70.6% - 81.9%).

Os especialistas em endodontia se consideram confiantes no diagnóstico e tratamento das dores não odontogênicos, entretanto, essa confiança não acompanha os resultados em relação ao conhecimento. Assim, os cursos de especialização em endodontia devem considerar uma carga horária mínima para treinamento e capacitação desses profissionais para o diagnóstico das dores não-odontogênicas.

PR0068 - Painel Aspirante
Área: 2 - Biologia pulpar

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Análise do biovidro F18 dopado com cobalto no Capeamento em tecido pulpar inflamado
Faria FD, Oliveira PHC, Justo MP, Barboni GR, Santos MFO, Mafra LS, Sivieri-Araújo G, Cintra LTA
Odontologia Preventiva e Restauradora UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho do biovidro F18 dopado com cobalto em procedimentos de capeamento pulpar em polpas inflamadas. Foram utilizados 30 ratos Wistar, divididos em 3 grupos (n=10): Guta percha (GP), MTA (MTA) e F18 dopado com cobalto (F18+Co). Para induzir a inflamação da polpa, foram realizados desgaste de 0,5mm de profundidade e 0,5x1mm de extensão na superfície oclusal dos 1º e 2º molares superiores. Após 24 horas, as polpas foram expostas para o emprego do material capeador e, em seguida, os dentes foram restaurados com ionômero de vidro. Os animais foram eutanasiados aos 7 e 30 dias e as maxilas foram removidas e processadas para análise do infiltrado inflamatório em coloração de H.E. Os dados obtidos foram analisados por testes estatísticos específicos, considerando o nível de significância de 5% (p<0,05). Todos os materiais apresentaram infiltrado inflamatório de moderado a severo, não apresentando diferença entre os grupos nos dois períodos de análise 7 dias (p=0.879) e 30 dias (p=0.877).

Considerando o modelo experimental utilizado, pode-se concluir que nenhum dos materiais apresentou resposta tecidual adequada após capeamento em tecido pulpar inflamado.

(Apoio: CAPES  N° 001)
PR0069 - Painel Aspirante
Área: 8 - Periodontia

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Efeito do xarope de milho rico em frutose sobre a perda óssea alveolar e a inflamação local e sistêmica em ratos
Araujo VCMA, Praseres MF, Mendonça RB, Sousa JCS, Martins NS, Lima-Neto LG, Ribeiro CCC, Branco-de-Almeida LS
program de pós-graduação em odontologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito do xarope de milho rico em frutose (HFCS) sobre a perda óssea alveolar e marcadores inflamatórios em ratos com reabsorção óssea alveolar espontânea. Ratos Wistar foram divididos em dois grupos (n=8/grupo): 1) Controle: consumo de ração e água; 2) HFCS: consumo de ração e HFCS 20%. Após 12 semanas de período experimental, as hemimandíbulas foram coletadas para avaliar o impacto do HFCS na perda óssea alveolar por meio de análise radiográfica do suporte ósseo no primeiro molar. As concentrações de fator de necrose tumoral (TNF)-α e interleucinas (IL)-1β, -6 e -17 foram determinadas no tecido gengival e no plasma utilizando-se imunoensaio do tipo Multiplex. O fígado e o rim dos animais foram submetidos a análise histopatológica. Os resultados foram analisados pelos testes t de Student ou Mann-Whitney, adotando-se nível de significância de 5%. O grupo HFCS apresentou maior reabsorção óssea alveolar e maiores concentrações de TNF-α e IL-17 no tecido gengival quando comparado ao controle (P<0,05). Não foram observadas diferenças entre os grupos quanto aos parâmetros inflamatórios avaliados no plasma ou nos órgãos dos animais.

Conclui-se que o consumo do HFCS, por 12 semanas, agravou a reabsorção óssea alveolar espontânea e a inflamação local/gengival (mas não sistêmica) em ratos.

(Apoio: FAPs - FAPEMA  N° 1256/19)
PR0070 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Prognóstico pulpar após leões por luxação em dentes permanentes: uma análise de riscos competitivos
Coste SC, Rodrigues MAF, Chaves JM, Colosimo EA, Bastos JV
Odontologia Restauradora UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O prognóstico pulpar de 427 dentes permanentes portadores de luxações de 224 pacientes atendidos na CTD-FO-UFMG entre 2014 e 2022 foi avaliado em uma coorte histórica. O padrão de resposta pulpar foi classificado como: manutenção da vitalidade pulpar, obliteração da cavidade pulpar e necrose pulpar. Foi feita uma análise de sobrevivência utilizando o modelo de riscos competitivos para avaliar o efeito das covariáveis clínicas e demográficas estudadas na ocorrência dos três desfechos pulpares. Observou- se manutenção da vitalidade pulpar em 163 dentes (38,2%), necrose pulpar em 120 dentes (28,1%) e OCP em 55 dentes (12,9%). A probabilidade de manutenção de vitalidade pulpar diminuiu significativamente com a ocorrência de fraturas coronárias concomitantes (HR 0,38 IC 95% [0,2 - 0,8] p = 0,006). A taxa de necrose pulpar foi significativamente menor em dentes com forame apical amplo (HR 0,62 IC 95% [0,4 - 0,96] p = 0,03) mas aumentou significativamente em dentes com luxações associadas às fraturas coronárias (HR 4,0 IC 95% [2,6 - 6,1] p = 0,001) e em dentes portadores de luxações intrusivas (HR 2,3 IC 95% [1,2 - 4,1] p = 0,007). Dentes portadores de luxações laterais ou extrusivas (HR 3,0 IC 95% [1,3 - 6,9] p = 0,001) ou com forame amplo (HR 2,4 IC 95% [1,2 - 4,7] p=0.01) apresentaram as maiores taxas de OCP.

Os principais fatores determinantes do prognóstico pulpar de dentes permanentes portadores de luxações foram o tipo de luxação, o estágio de formação radicular e a ocorrência de fraturas coronárias concomitantes.

(Apoio: CAPES)
PR0071 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Análise da penetração do NaOCl 5,25% em túbulos dentinários com diferentes métodos de agitação intracanal: estudo ex vivo
Gasparelli CHC, Frozoni M, Marceliano-Alves MFV, Soares AJ, Nascimento WM, Limoeiro AGS, Bastos LF, Lopes RT

Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Introdução: agitação têm sido propostos para aumentar a penetração do irrigante nos túbulos dentinários. Objetivo: avaliar a capacidade de penetração do hipoclorito 5,25% nos túbulos dentinários de caninos humanos em diferentes métodos de agitação. Metodologia: 70 caninos com canal único, foram padronizados através de micro-CT. Os dentes corados com cristal violeta a 1% com o uso de câmara de vácuo. Os espécimes foram distribuídos em 3 grupos experimentais (n = 20): GEC: EasyClean; GPUI: inserto ultrassônico E1 Irrisonic; GXP: XP-endo; e dois grupos controle (n =5): GCP (controle positivo): com seringa e agulha sem agitação e GCN (controle negativo): dente corado sem irrigação. A penetração do irrigante foi analisada na superficie de cortes axiais dos terços apical, médio e cervical. O halo de branqueamento do corante produzido pela ação do hipoclorito no interior dos túbulos foi quantificado, fotografados em microscopia de luz e analisadas no programa Image J. O nível de significância estabelecido foi (p < 0.05). Resultados: O GPUI apresentou a maior média na área de branqueamento, com valor de 1,15 mm2 nos 3 cortes. Se comparado com o GXP, segunda maior média de 0,98 mm2. Agora, se comparado ao grupo GEC, média de 0,54 mm2, a diferença foi de 113,5% comparada com o GPUI. Conclusão: O GXP foi tão eficiente quanto o GPUI nos terços cervical e médio. O GPUI apresentou mehores resultados no terço apical

GXP foi tão eficiente quanto o GPUI nos terços cervical e médio. O GPUI apresentou mehores resultados no terço apical.

PR0072 - Painel Aspirante
Área: 8 - Periodontia

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Associação entre Periodontite, Parto Prematuro e Periodonto Patógenos
Lima KM, Leite HLA, Lopes FF
UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O presente estudo teve como objetivo analisar se existe relação entre os parâmetros clínicos e microbiológicos da periodontite e o nascimento de bebês prematuros, quantificando os patógenos Prevotella intermedia (Pi) e Fusobacterium nucleatum (Fn) no biofilme subgengival de puérperas. Este é um estudo caso-controle com 120 participantes, 40 casos (idade gestacional <37 semanas) e 80 controles (idade gestacional ≥37 semanas), que foram submetidos ao exame clínico periodontal e coleta de biofilme subgengival. O DNA bacteriano do biofilme subgengival foi detectado por Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real q(PCR)R. A periodontite foi estatisticamente significativa no grupo Caso (35%) quando comparada ao grupo Controle (11,2%) e o Índice de Sangramento Gengival (ISG), locais com Profundidade de Sondagem (PS) ≥ 4mm e locais com Nível de Inserção Clínica (NIC) ≥ 5mm foram estatisticamente maiores no grupo Caso (P < 0,05). As proporções de Pi (P = 0,026) e Fn (P = 0,041) de biofilme subgengival foram maiores no grupo Caso. Maior número de sítios com PS ≥ 4mm (r = -0,202; P = 0,026) e NIC≥ 5mm (r = -0,322; P < 0,001) foram correlacionados com menor idade gestacional.

Periodontite e parto prematuro e/ou baixo peso ao nascer podem ter uma possível relação com base em parâmetros clínicos e na proporção de Pi e Fn nos sítios periodontais.

PR0073 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 4

Fatores de virulência, mediadores inflamatórios e suas repercussões nas infecções endodônticas primárias
Moura-Filho AAL, Lima AR, Aveiro E, Bronzato JD, Soares AJ, Marciano MA, Ferraz CCR, Gomes BPFA
CLÍNICA ODONTOLÓGICA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do preparo químico-mecânico (PQM) e da medicação intracanal (MIC) nos níveis de lipopolissacarídeos (LPS) e moduladores inflamatórios. Amostras microbianas foram coletadas de 10 pacientes diagnosticados com necrose do tecido pulpar, presença de periodontite apical crônica e ausência de sintomas. Os níveis de LPS foram quantificados usando o teste Lisado do Amebócito Limulus (LAL) e citocinas pró-inflamatórias (IL-1α, IL-1β; TNF-α) e prostaglandina E2 (PGE2) usando o teste imunoenzimático (ELISA). Os níveis de LPS foram quantificados antes, após PQM e após 30 dias de MIC com hidróxido de cálcio [Ca(OH)2] e gel de clorexidina 2% (CHX). Citocinas e PGE2 foram quantificadas após PQM (análise inicial) e após 30 dias de MIC baseado em Ca(OH)2 + CHX. As análises foram realizadas no programa R, considerando nível de significância de 5%. Diminuição significativa nos níveis de LPS foi detectada após PQM e após MIC (p<0,05). Diminuição significativa nos níveis de IL-1α, IL-1β e TNF-α foi encontrada após MIC. Nenhuma diferença significativa foi observada para PGE2 após MIC (p>0,05).

Conclui-se que o preparo químico-mecânico e a medicação intracanal são capazes de influenciar positivamente na redução significativa dos níveis de LPS e na produção de citocinas pró-inflamatórias.

(Apoio: CNPq  N° 303852/2019-4  |  FAPESP  N° 2015/23479-5  |  FAPESP  N° 2017/25090-3  |  CNPq  N° 303852/2019-4  |  FAPESP  N° 2015/23479-5  |  FAPESP  N° 2017/25090-3)