Programação

Modalidade:
Área:
Autores:
Palavra-Chave:


Resultado da busca [Siglas PR0043 a PR0052 ]
 9 Resumo encontrados. Mostrando de 1 a 9


PR0043 - Painel Aspirante
Área: 8 - Periodontia

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Análise do reparo ósseo induzido por biomateriais associados à membrana anodizada de titânio em defeitos críticos em calvária de ratos
Mota KF, Barbosa ALA, Silva DHCS, Ciotti DL, Fernandes PG, Meulman T
FACULDADE DE ODONTOLOGIA SÃO LEOPOLDO MANDIC
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Os métodos de regeneração óssea têm sido amplamente empregados na odontologia em situações clínicas onde há deficiências ou limitações anatômicas que impossibilitam a reabilitação com implantes dentários. O objetivo deste trabalho foi realizar a análise do reparo ósseo induzido por biomateriais associados à membrana anodizada de titânio em defeitos críticos em calvária de ratos. Foram selecionados 15 ratos e 2 defeitos ósseos de 4.1mm de diâmetro foram criados com broca trefina na calvária dos animais. Os animais foram separados em 3 grupos: Grupo 1 (n=10): defeitos foram preenchidos com coágulo sanguíneo. Grupo 2 (n=10): defeitos foram preenchidos com coágulo sanguíneo e recobertos com membrana anodizada de titânio. Grupo 3 (n=10): defeitos foram preenchidos com enxerto ósseo de origem bovina e recobertos com membrana anodizada de titânio. Após 30 dias, os animais foram eutanasiados e as amostras foram enviadas para análise histomorfométrica para avaliar a área de neoformação óssea. Foi realizado o teste ANOVA para o cálculo dos resultados. A área de neoformação óssea foi significativamente menor (p<0,05) no grupo coágulo com a membrana anodizada de titânio do que nos demais grupos. Os grupos 2 e 3 não apresentaram diferença estatística entre eles.

Dentro das limitações deste estudo, conclui-se que o uso das membranas anodizadas de titânio associadas a enxertos ósseos influenciou positivamente a neoformação óssea nos defeitos críticos, porém quando utilizadas associadas somente ao coágulo sanguíneo, a formação de osso foi menor, comparada aos demais grupos.

PR0044 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Avaliação da resistência a fadiga cíclica dos instrumentos 25 e 35 de novos sistemas rotatórios
Osaki RB, Jaen-Hurtado SE, Calefi PHS, Alcalde MP, Vivan RR, Duarte MAH
Endodontia UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência à fadiga cíclica dos instrumentos rotatórios Trunatomy 26.04 E 36.03, Zenflex 2 25.04 e 35.04 e da Genius Proflex 25.04 e 35/.04 em condições simulando curva de 60° e raio de 5mm. Foram utilizados um total de 24 instrumentos 25 e 24 instrumentos 35 de cada sistema, com 25 mm de comprimento. O ensaio de fadiga cíclica foi realizado em um canal artificial de aço de inoxidável com ângulo de 60° e um raio de 5 mm de curvatura, de acordo com a norma ISO 3630-1 (n=8). Os instrumentos foram ativados a 400 RPM e 1.5 N/cm de torque. Durante os ensaios, o tempo para a fratura foi aferido e, posteriormente, convertido em número de ciclos para a fratura (NCF). Os dados obtidos foram analisados estatisticamente pelos testes de Tukey, sendo considerado um índice de significância de 5%. Os resultados mostraram que tanto para o diâmetro 25 como para o diâmetro 35 o sistema Genius Proflex apresentou significantemente maior resistência à fadiga cíclica em relação aos outros dois sistemas nos dois diâmetros (P<0,05). O sistema Zenflex apresentou maior resistência à fadiga cíclica, para os dois diâmetros, que o sistema Trunatomy (P<0,05), que apresentou os menores valores. Na comparação entre os dois diâmetros, com exceção à Trunatomy, o diâmetro 25 apresentou maior resistência à fadiga cíclica que o diâmetro 35.

Concluiu-se que em curvaturas de 60° com raio de 5mm, o sistema Genius Proflex apresenta maior segurança à fadiga cíclica.

PR0045 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Avaliação do remanescente de diferentes cimentos à base de silicato de cálcio em istmos de raízes mesiais de molares inferiores
Alencar DSB, Soares AJ, Janini ACP, Gomes BPFA, Ferraz CCR, Almeida JFA, Duarte MAH, Marciano MA
Odontologia Restauradora FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo desse estudo foi avaliar o remanescente de material obturador em canais com istmos de raízes mesiais de molares inferiores. Foram seccionadas 100 raízes mesiais de molares inferiores referentes a 6, 4 e 2 mm do ápice radicular. Em sequência, os dentes foram instrumentados utilizando R25 sob irrigação com NaOCl 2,5%, e então obturados (n=20) usando rodamina B 0,1% associada aos cimentos à base de silicato de cálcio, pó e líquido BioRoot RCS ou MTApex, prontos para uso EndoSequence BC Sealer HiFlow ou Bio-C Sealer, ou cimento à base de resina epóxi AH Plus Jet. Após 30 dias, foi realizado o retratamento utilizando R40 e XP-endo Finisher R sob irrigação com NaOCl 2,5%, posteriormente foi analisada a área de remanescente de material obturador através da microscopia confocal. O tempo de retratamento foi registrado, assim como o tempo de presa, utilizando os dois métodos (úmido e seco) de acordo com a norma ISO-6876:2012. Análises estatísticas e comparações múltiplas utilizaram nível de significância de 5% (p < 0,05). O cimento AH Plus Jet exibiu maior quantidade de remanescente de material obturador em 2 mm na região de canal e istmo, assim como também obteve maior tempo de retratamento. O tempo de presa, em ambos os métodos úmido e seco, foi afetado consideravelmente para o cimento EndoSequence BC Sealer HiFlow.

Em conclusão, remanescentes de material obturador permaneceram nos canais e istmos independentemente do cimento endodôntico.

(Apoio: CAPES  N° 001)
PR0046 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Biocompatibilidade do Cimento AH Plus Biocerâmico em Células da Polpa Dentária e Células Osteoblásticas Humanas
Lima GG, Santiago MC, Salles LP
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O cimento AH Plus Biocerâmico é um dos cimentos a base de silicato de cálcio mais novos no universo da endodontia. Este estudo teve como objetivo avaliar a biocompatibilidade do AH Plus Biocerâmico em cultura de células da polpa dentaria (hDPCs) e células osteoblásticas humanas (Saos-2). As células hDPCs e Saos-2 foram cultivadas em meio DMEM com 10% de soro fetal bovino e expostas a amostras do cimento a 37oC, 95% de humidade e 5% CO2. Células não expostas formaram o grupo controle (CT). Em seguida, foi realizado o ensaio de MTT nos tempos experimentais de 24h, 72h e 168h. Os dados foram submetidos a análises estatísticas (Teste t de Student, p<0.05). Ambos os grupos celulares, hDPCs e Saos-2, apresentaram taxas de viabilidade significativamente mais baixas que o grupo CT nas primeiras 24h (~81% e ~47%, respectivamente), seguido de um aumento significativo após 168h, quando atingiu 100% de viabilidade celular.

O cimento AH Plus Biocerâmico afetou as células nas primeiras 24h de exposição. Possivelmente, não devido a citotoxicidade, mas por indução de diferenciação celular. Uma hipótese que merece ser futuramente investigada. De maneira geral, o cimento AH Plus Biocerâmico pode ser considerado biocompatível com células da polpa dentaria e ósseas. O cimento tem potencial como material de primeira escolha para tratamentos endodônticos reparadores e regenerativos.

PR0047 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Análise Comparativa do Efeito da Terapia Fotodinâmica e Laser de Alta Potência em Biofilme Intracanal Utilizando Azul de Metileno e Hipérico
Frota DLR, Segundo ASG
FACULDADE DE ODONTOLOGIA SÃO LEOPOLDO MANDIC
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Uma das causas que leva o insucesso da terapia endodôntica é a presença intracanal de bactérias, que formam biofilme e colonizam estruturas anatômicas de difícil acesso. Dentre as estratégias que visam a maior redução da microbiota patogênica, estão os Lasers de Alta potência, que visam a desnaturação da bactéria pelo aumento da temperatura e a Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana (aPDT), que age promovendo a morte celular na presença de espécies reativas de oxigênio. Este trabalho avaliou a redução bacteriana com laser de alta potência e aPDT, utilizando como fotossensibilizador o Hipérico e o Azul de Metileno. Para isso, foram utilizados 60 dentes unirradiculares humanos extraídos, que foram preparados e contaminados por culturas de Enterococcus faecalis durante 21 dias, para formação de biofilme. Os dentes contaminados foram separados em 6 grupos, de acordo com o tipo de fotossensibilizador e de acordo com a aplicação do laser de alta potência com diferentes comprimentos de ondas. Os valores totais, médias e os respectivos desvios-padrão foram calculados e analisados. O laser de alta potência no comprimento de 450nm com o fotossensibilizador hipérico obteve os melhores resultados na redução bacteriana, enquanto ambos os grupos de aPDT em baixa potência obtiveram redução bacteriana significativa.

Pode-se concluir, que o fotossensibilizador hipérico em associação ao laser de alta potência promoveu aumento na propagação de calor, levando à morte bacteriana.

PR0048 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Avaliação da sensibilidade dolorosa após tratamento endodôntico com e sem preparo prévio dos terços cervical e médio antes da patência
Santos FS, Rocha DGP
ODONTOLOGIA FACULDADE DE ODONTOLOGIA SÃO LEOPOLDO MANDIC
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Este trabalho teve como objetivo avaliar a sintomatologia dolorosa pós-tratamento endodôntico, em sessão única, em dentes unirradiculares com necrose pulpar, variando duas técnicas de patência do forame: com e sem preparo prévio dos terços cervical e médio. Os pacientes foram divididos de forma aleatória em dois grupos (n=23). Grupo SSP (Sem Preparo Prévio): o tratamento endodôntico foi realizado com limas Wave One Gold (Dentsply Sirona, Ballaigues - Suíça) associado à patência com ProGlider (Dentsply Sirona, Ballaigues - Suíça) previamente ao preparo dos terços cervical e médio. Grupo CPP (Com Preparo Prévio): tratamento endodôntico foi realizado com limas Wave One Gold associada à patência com ProGlider após o preparo dos terços cervical e médio. A irrigação foi feita com NaOCl 2,5% e os canais foram obturados pela técnica do cone único com cimento AH Plus, utilizando o compactador de McSpadden. Após o tratamento os pacientes esponderam a um questionário com a escala de dor EVA, e classificando de 0 a 10, nos períodos de 24 horas, 72 horas, e 1 semana pós-tratamento. Os dados foram analisados através dos testes de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis (Student-Newman-Keuls) teste de Dunn e teste Qui-quadrado.

Concluiu-se que os níveis de dor pós-tratamento endodôntico em dentes unirradiculares com necrose pulpar com ou sem preparo prévio do terço cervical e médio do canal apresentou comportamento equivalente.

PR0050 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Mecanismos de associação entre aumento sérico de ferritina e periodontite: estudo transversal de base populacional
Santos ECAG, Costa SA, Nascimento GG, Moreira ARO, Ribeiro CCC, Souza SFC
Pró-reitoria de pesquisa e pós graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Aumento dos níveis séricos de ferritina tem sido associado à gravidade da periodontite por mecanismos ainda desconhecidos. O objetivo deste estudo foi investigar mecanismos inflamatórios e locais para a associação entre aumento dos níveis séricos de ferritina e periodontite. Trata-se de um estudo de base populacional que analisou os dados de 7.283 indivíduos que participaram da Terceira Pesquisa de Saúde e Nutrição dos EUA (NHANES III). Caminhos indiretos e diretos para a associação entre níveis elevados de ferritina (em quintis) e periodontite (definida de acordo com a última classificação sugerida pela EFP-AAP) foram estimados. O modelo teórico, testado por meio da Modelagem de Equações Estruturais, foi ajustado para idade, sexo, condição socioeconômica, tabagismo, consumo excessivo de álcool, obesidade, inflamação sistêmica (níveis de proteína c-reativa) e resistência insulínica. A ferritina elevada foi mediadora para a associação entre inflamação sistêmica e periodontite (SC = 0.012, SE = 0.005, p-value = 0.033); e foi mediadora para associação entre obesidade e periodontite (SC = 0.007, SE = 0.003, p-value =0.038). Mesmo após ajuste, níveis elevados de ferritina foram diretamente associados à periodontite (Standardized Coefficient (SC) = 0.074, standard error (SE) = 0.033, p-value =0.025).

A ferritina pode contribuir para a gravidade e extensão da periodontite de forma multidirecional, por mecanismos inflamatórios sistêmicos e por mecanismos locais.

PR0051 - Painel Aspirante
Área: 2 - Terapia endodôntica

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

Fotobiomodulação modula inflamação e estimula o reparo do tecido pulpar após clareação dentária em ratos normoglicêmicos e diabéticos
Goto J, Silva IJP, Benetti F, Machado NES, Matsushita DH, Ervolino E, Briso ALF, Cintra LTA
Departamento de Odontologia Restauradora UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

Avaliou-se a influência do laser infravermelho (LIV) na polpa de ratos normoglicêmicos (N) e diabéticos (D) após a clareação dentária, por meio da análise da interleucina (IL) 6 e 10, e dos fatores de crescimento transformante (TGF)-β e de fibroblastos (FGF)-2. Setenta ratos Wistar foram divididos em normoglicêmicos (N) e diabéticos (D). A diabetes foi induzida por estreptozotocina. A clareação dentária (Cla) com H2O2 a 17,5% por 30' foi realizada nos molares superiores e LIV foi aplicado (808 nm por 30 seg, 3J) formando os grupos: NCla, NCla-LIV, DCla e DCla-LIV. Após 0 horas, 2, 7, 15 e 30 dias, os ratos foram eutanasiados e as maxilas processadas para avaliação em H.E. e imunohistoquímica. Testes estatísticos foram aplicados (p<0,05). NCla apresentou maior inflamação que NCla-LIV aos 2 e 7 dias (p<0,05), assim como DCla em relação à DCla-LIV (p<0,05). Aos 2, 7, 15 e 30 dias, em NCla-LIV houve maior imunomarcação para IL-10 e TGF-β e menor para IL-6 que NCla (p<0,05). Em DCla-LIV houve menor imunomarcação para IL-6 e maior para IL-10 que DCla a partir de 7 dias (p<0,05) e maior para TGF-β apenas aos 7 dias (p<0,05). Nos períodos de 0h, 2, 7 e 15 dias, NCla-LIV apresentou maior imunomarcação para FGF-2 que NCla (p<0,05). Já DCla-LIV apresentou maior imunomarcação para FGF-2 que DCla apenas nos períodos 0h e 2 dias.

Conclui-se que a LIV minimiza a inflamação do tecido pulpar após clareação dentária, reduzindo a produção de IL-6 e elevando a produção de IL-10, assim como influencia no processo regenerativo, elevando a produção de TGF-β e FGF-2, e independentemente da presença da diabetes.

(Apoio: CNPq  N° 311650/2018-0)
PR0052 - Painel Aspirante
Área: 8 - Periodontia

Apresentação Remota: 02/09 - Horário: 08h00 - 09h45 - Sala: 3

O derivado de ftalocianina é menos citotóxico e não prejudica a cicatrização in vitro de feridas comparado à clorexidina
Santos CA, Pessoa AS, Vilhena FV, Oliveira RC, Santos PSS, Zangrando MSR
Prótese e Periodontia UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU
Conflito de interesse: Não há conflito de interesse

O objetivo do estudo foi comparar a citotoxicidade in vitro do digluconato de clorexidina (CHX) e o derivado de ftalocianina (PHY) e avaliar a influência dos compostos no ensaio de cicatrização de feridas. Diferentes concentrações de CHX e PHY (0,0075% a 0,12%) permaneceram em contato por um minuto com fibroblastos NIH 3T3 sendo avaliada a viabilidade celular pelo ensaio de MTT e cristal violeta (CV); CHX e PHY (0,0075% e 0,12%) também foram avaliadas no ensaio de cicatrização in vitro. PHY apresentou-se menos citotóxica comparada a CHX, a partir dos dois ensaios de viabilidade celular. PHY não interferiu no ensaio de cicatrização de feridas, permitindo a migração celular semelhante ao controle positivo nas duas concentrações estudadas de PHY 0,0075% e PHY 0,12%, a medida em que apenas CHX 0,0075% permitiu a migração de células. As concentrações de PHY 0,0075% e 0,015% revelaram-se atóxicas mesmo em 48 horas de contato com as células.

Podemos concluir que a PHY se apresentou menos citotóxica para fibroblastos NIH 3T3 comparado a CHX, além disso, as diferentes concentrações de PHY não interferiram negativamente na cicatrização in vitro de feridas.