04 a 07 de Setembro de 2015
Expo Dom Pedro Campinas
Campinas / SP - Brasil

 
 
 

Cursos e Simpósios
 
Dia 04/09 - (8h30 - 11h30)
SIMPÓSIO I - Regeneração Óssea e Osseointegração: Em Busca de Modelos Preditivos

Sala Jequitibá
Ministrador: Paulo Guilherme Coelho - New York University College of Dentistry
Gratuito
Dia 04/09 - (13h30 - 16h30)
Simpósio II: Reunião de Editores Científicos

Sala Carvalho I
Gratuito
Dia 04/09 - (13h30 - 15h30)
Erosão do Esmalte Dental: Novas Abordagens para um desafio diário

Sala Jequitibá
- Medidas preventivas para erosão do esmalte dental: Marília Afonso Rabelo Buzalaf - FOB-USP
- Uma nova tecnologia com silicato de cálcio e fosfato para gerenciamento da erosão: Andrew Joiner - Responsável pela área de pesquisa e desenvolvimento da Unilever
Gratuito
Dia 04/09 - (8h30 - 11h30)
SIMPÓSIO I - Regeneração Óssea e Osseointegração: Em Busca de Modelos Preditivos

Sala Jequitibá
Ministrador: Paulo Guilherme Coelho - New York University College of Dentistry
Gratuito
Dia 04/09 - (13h30 - 16h30)
Simpósio II: Reunião de Editores Científicos

Sala Carvalho I
Gratuito
Dia 04/09 - (13h30 - 15h30)
Erosão do Esmalte Dental: Novas Abordagens para um desafio diário

Sala Jequitibá
- Medidas preventivas para erosão do esmalte dental: Marília Afonso Rabelo Buzalaf - FOB-USP
- Uma nova tecnologia com silicato de cálcio e fosfato para gerenciamento da erosão: Andrew Joiner - Responsável pela área de pesquisa e desenvolvimento da Unilever
Gratuito
Dia 05/09 - (13h30 - 17h00)
Curso: Bulk Fill - materiais sem qualquer dúvida?
Apoio Ivoclar Vivadent

Sala Jequitibá
Ministrador: Siegward Heintze - Chefe do Departamento de Pesquisa Pré-Clínica da Ivoclar
Gratuito
Dia 05/09 - (8h30 - 11h30)
Simpósio: Pesquisa Clínica em Odontologia
Apoio ORAL-B

Sala Carvalho II
Coordenador: Claudio Mendes Pannuti
Ministradores:
Claudio Mendes Pannuti - FOUSP
Alessandro Dourado Loguercio - UEPG
Marcio Zaffalon Casati - UNICAMP
Gratuito
Dia 05/09 - (13h00 - 16h45)
Simpósio: Inovação na Odontologia: Demandas e desafios atuais

Sala Carvalho
Coordenador: Fabrício Ogliari
Ministradores:
Fabrício Ogliari - UFPel
Henry Suzuki - Axonal
Knud Sorensen - ABIMO
Roberto Alcântara - Angelus
Gratuito
Dia 05/09 - (13h30 - 17h00)
Curso: Bulk Fill - materiais sem qualquer dúvida?
Apoio Ivoclar Vivadent

Sala Jequitibá
Ministrador: Siegward Heintze - Chefe do Departamento de Pesquisa Pré-Clínica da Ivoclar
Gratuito
Dia 05/09 - (8h30 - 11h30)
Simpósio: Pesquisa Clínica em Odontologia
Apoio ORAL-B

Sala Carvalho II
Coordenador: Claudio Mendes Pannuti
Ministradores:
Claudio Mendes Pannuti - FOUSP
Alessandro Dourado Loguercio - UEPG
Marcio Zaffalon Casati - UNICAMP
Gratuito
Dia 05/09 - (13h00 - 16h45)
Simpósio: Inovação na Odontologia: Demandas e desafios atuais

Sala Carvalho
Coordenador: Fabrício Ogliari
Ministradores:
Fabrício Ogliari - UFPel
Henry Suzuki - Axonal
Knud Sorensen - ABIMO
Roberto Alcântara - Angelus
Gratuito
Dia 06/09 - (8h30 - 11h30)
Curso: Novos fatores que explicam as falhas na osseointegração e como evitar a perda óssea marginal.

Sala Carvalho III
Ministrador: Luiz Meirelles - University of Rochester
Gratuito
Dia 06/09 - (13h30 - 15h30)
Curso: Normas técnicas: como fundamentar seu projeto de PESQUISA

Sala Jequitibá
Ministrador: Álvaro Della Bona - UPF
Gratuito
Dia 06/09 - (8h30 - 12h00)
Simpósio: Inovação e Pesquisa com LASER- Realidade Atual e Tendências Futuras

Sala Carvalho II
Coordenador: Carlos de Paula Eduardo
Ministradores:
Carlos de Paula Eduardo - FOUSP
Luciane Hiramatsu Azevedo - USP
Manoel Damião Sousa Neto - FORP - USP
Vanderlei Salvador Bagnato - USP- IFSC
Martha Simões - IPEN-USP
Moderador: Sergio Eduardo Paiva Gonçalves - UNESP- SJC
Ativador: Jaime Cury - UNICAMP
Gratuito
Dia 06/09 - (8h30 - 11h30)
Curso: Novos fatores que explicam as falhas na osseointegração e como evitar a perda óssea marginal.

Sala Carvalho III
Ministrador: Luiz Meirelles - University of Rochester
Gratuito
Dia 06/09 - (13h30 - 15h30)
Curso: Normas técnicas: como fundamentar seu projeto de PESQUISA

Sala Jequitibá
Ministrador: Álvaro Della Bona - UPF
Gratuito
Dia 06/09 - (8h30 - 12h00)
Simpósio: Inovação e Pesquisa com LASER- Realidade Atual e Tendências Futuras

Sala Carvalho II
Coordenador: Carlos de Paula Eduardo
Ministradores:
Carlos de Paula Eduardo - FOUSP
Luciane Hiramatsu Azevedo - USP
Manoel Damião Sousa Neto - FORP - USP
Vanderlei Salvador Bagnato - USP- IFSC
Martha Simões - IPEN-USP
Moderador: Sergio Eduardo Paiva Gonçalves - UNESP- SJC
Ativador: Jaime Cury - UNICAMP
Gratuito

Lunch Learning

Atividade realizada durante o almoço, onde cada mesa terá  um pesquisador de renome na área que irá apresentar o tema proposto, abrindo uma discussão com até 9 inscritos. O almoço será servido ao longo do tempo desta atividade. É necessária inscrição prévia. 
Horário: 11:45h as 13:00h
Valor: R$75,00 (o valor já inclui a refeição)

Dia 04/09/2015:



LL1 - INOVAÇÕES NO PROTOCOLO ENDODÔNTICO E O REFLEXO NO SUCESSO.

Ministrador: Carlos Estrela - UFG
Descrição: A endodontia presencia um especial momento com inovações científicas e tecnológicas que gradativamente tem sido avaliadas e incorporadas ao tratamento endodôntico. A determinação da saturação de oxigênio no tecido pulpar, o emprego de tomografia computadorizada de feixe cônico, os sistemas rotatórios de níquel-titânio, as estratégias e sistemas de irrigação e selamento do canal e coronário permitiram mudanças de conceitos e protocolos. Aliados a estes aspectos encontram-se os avanços nas ciências básicas envolvendo o campo da biologia (engenharia de tecidos) e microbiologia que estimularam muitos estudos com definições no padrão de excelência da endodontia atualmente desenvolvida. As inovações no protocolo terapêutico estimularam estudos que tem mostrado a reflexão das condutas, e o reflexo no sucesso do tratamento endodôntico
R$ 75,00
LL1 - INOVAÇÕES NO PROTOCOLO ENDODÔNTICO E O REFLEXO NO SUCESSO.

Ministrador: Carlos Estrela - UFG
Descrição: A endodontia presencia um especial momento com inovações científicas e tecnológicas que gradativamente tem sido avaliadas e incorporadas ao tratamento endodôntico. A determinação da saturação de oxigênio no tecido pulpar, o emprego de tomografia computadorizada de feixe cônico, os sistemas rotatórios de níquel-titânio, as estratégias e sistemas de irrigação e selamento do canal e coronário permitiram mudanças de conceitos e protocolos. Aliados a estes aspectos encontram-se os avanços nas ciências básicas envolvendo o campo da biologia (engenharia de tecidos) e microbiologia que estimularam muitos estudos com definições no padrão de excelência da endodontia atualmente desenvolvida. As inovações no protocolo terapêutico estimularam estudos que tem mostrado a reflexão das condutas, e o reflexo no sucesso do tratamento endodôntico
R$ 75,00
LL2 - NOVAS TENDÊNCIAS EM RESINAS COMPOSTAS RESTAURADORAS

Ministrador: Roberto Ruggiero Braga - FOUSP
Descrição: Nos últimos anos, o mercado tem recebido novos materiais com algumas características que os diferenciam das formulações tradicionais. Estes materiais têm como proposta: 1) simplificar o procedimento restaurador, como no caso dos compósitos "bulk fill" e restauradores auto-adesivos; 2) reduzir o risco de fratura das restaurações através da incorporação de fibras multidirecionais; ou 3) inibir o surgimento de lesões de cárie nas margens da restauração com aadição de nanopartículas de ortofosfatos de cálcio à matriz da resina composta. O objetivo desta atividade será apresentar aos participantes estas novas tecnologias, discutindo sua eficácia e suas limitações.
R$ 75,00
LL2 - NOVAS TENDÊNCIAS EM RESINAS COMPOSTAS RESTAURADORAS

Ministrador: Roberto Ruggiero Braga - FOUSP
Descrição: Nos últimos anos, o mercado tem recebido novos materiais com algumas características que os diferenciam das formulações tradicionais. Estes materiais têm como proposta: 1) simplificar o procedimento restaurador, como no caso dos compósitos "bulk fill" e restauradores auto-adesivos; 2) reduzir o risco de fratura das restaurações através da incorporação de fibras multidirecionais; ou 3) inibir o surgimento de lesões de cárie nas margens da restauração com aadição de nanopartículas de ortofosfatos de cálcio à matriz da resina composta. O objetivo desta atividade será apresentar aos participantes estas novas tecnologias, discutindo sua eficácia e suas limitações.
R$ 75,00
LL3 - Materiais para CAD/CAM: usos e propriedades

Ministrador: Estevam A. Bonfante - FOB- USP
Descrição: Embora exista uma gama imensa de materiais e opções para CAD/CAM, cada qual tem hoje o seu espaço bem determinado pelo fabricante e literatura. Esta palestra terá o objetivo de apresentar os materiais para CAD/CAM a partir de uma nova classificação proposta que facilita a comunicação entre laboratório e cirurgião-dentista para o uso e indicações. As limitações bem como as tendências futuras de materiais para prótese convencional e sobre implante serão discutidas.
R$ 75,00
LL3 - Materiais para CAD/CAM: usos e propriedades

Ministrador: Estevam A. Bonfante - FOB- USP
Descrição: Embora exista uma gama imensa de materiais e opções para CAD/CAM, cada qual tem hoje o seu espaço bem determinado pelo fabricante e literatura. Esta palestra terá o objetivo de apresentar os materiais para CAD/CAM a partir de uma nova classificação proposta que facilita a comunicação entre laboratório e cirurgião-dentista para o uso e indicações. As limitações bem como as tendências futuras de materiais para prótese convencional e sobre implante serão discutidas.
R$ 75,00
LL4 - ENSAIOS CLÍNICOS RANDOMIZADOS

Ministrador: Cassiano Rosing - UFRGS
Descrição: Os ensaios clínicos randomizados (ECR) são uma das formas de estudos com maior capacidade de geração de evidências. Muito se tem avançado no planejamento e na forma de reportar os ECR, para garantir que um estudo que se propõe a ser um ECR apresente realmente todas as suas virtudes. Nesse sentido, é importante que os pesquisadores tenham consciência e estejam preparados desde o planejamento para a melhoria da qualidade dos ECR, o que será objeto de discussão nessa atividade de Lunch and Learning.
R$ 75,00
LL4 - ENSAIOS CLÍNICOS RANDOMIZADOS

Ministrador: Cassiano Rosing - UFRGS
Descrição: Os ensaios clínicos randomizados (ECR) são uma das formas de estudos com maior capacidade de geração de evidências. Muito se tem avançado no planejamento e na forma de reportar os ECR, para garantir que um estudo que se propõe a ser um ECR apresente realmente todas as suas virtudes. Nesse sentido, é importante que os pesquisadores tenham consciência e estejam preparados desde o planejamento para a melhoria da qualidade dos ECR, o que será objeto de discussão nessa atividade de Lunch and Learning.
R$ 75,00
LL5 - ADESÃO EM DENTINA: MECANISMO DE UNIÃO, ENSAIOS LABORATORIAIS E DURABILIDADE CLÍNICA

Ministrador: Marcelo Giannini - UNICAMP
Descrição: A adesão no tecido dentinário tem melhorado significativamente nos últimos anos, entretanto; a durabilidade clínica dessas restaurações adesivas ainda tem sido questionada. Essa atividade irá abordar o mecanismo de união promovido pelos adesivos dentinários, os fenômenos relacionados à degradação dos elementos da união, os ensaios laboratoriais modernos para análise dos adesivos e como tem sido conduzida a avaliação clínica desse tipo de restauração.
R$ 75,00
LL5 - ADESÃO EM DENTINA: MECANISMO DE UNIÃO, ENSAIOS LABORATORIAIS E DURABILIDADE CLÍNICA

Ministrador: Marcelo Giannini - UNICAMP
Descrição: A adesão no tecido dentinário tem melhorado significativamente nos últimos anos, entretanto; a durabilidade clínica dessas restaurações adesivas ainda tem sido questionada. Essa atividade irá abordar o mecanismo de união promovido pelos adesivos dentinários, os fenômenos relacionados à degradação dos elementos da união, os ensaios laboratoriais modernos para análise dos adesivos e como tem sido conduzida a avaliação clínica desse tipo de restauração.
R$ 75,00
LL6 - PLACAS OCLUSAIS, ATIVIDADE MUSCULAR E DOR FACIAL: HÁ ALGUMA RELAÇÃO?

Ministrador: Paulo Cesar Conti - FOB-USP
Descrição: As placas Oclusais, também chamadas de " Dispositivos Intra-Orais (DIOs)", representam uma importante modalidade terapêutica no controle das Dores Orofaciais causadas por Disfunções Temporomandibulares (DTMs). Apesar de bastante discutido, o mecanismo de "relaxamento muscular", presumidamente obtido com o uso desses dispositivos tem, historicamente, sido descrito como o principal fator de melhora dos pacientes com tais condições.No entanto, diversos estudos demonstram que o mecanismo de ação dos dispositivos intra-orais vai muito além de diminuição da atividade dos músculos da mastigação. Além disso, tem sido bastante discutida a participação da contração muscular e atividades de bruxismo como desencadeadoras ou mantenedoras das DTMs. Assim, esta atividade objetiva apresentar e discutir, sob a ótica da evidência, a real função da terapia com placas, além da possível relação (ou não..) da atividade muscular e dor facial.
R$ 75,00
LL6 - PLACAS OCLUSAIS, ATIVIDADE MUSCULAR E DOR FACIAL: HÁ ALGUMA RELAÇÃO?

Ministrador: Paulo Cesar Conti - FOB-USP
Descrição: As placas Oclusais, também chamadas de " Dispositivos Intra-Orais (DIOs)", representam uma importante modalidade terapêutica no controle das Dores Orofaciais causadas por Disfunções Temporomandibulares (DTMs). Apesar de bastante discutido, o mecanismo de "relaxamento muscular", presumidamente obtido com o uso desses dispositivos tem, historicamente, sido descrito como o principal fator de melhora dos pacientes com tais condições.No entanto, diversos estudos demonstram que o mecanismo de ação dos dispositivos intra-orais vai muito além de diminuição da atividade dos músculos da mastigação. Além disso, tem sido bastante discutida a participação da contração muscular e atividades de bruxismo como desencadeadoras ou mantenedoras das DTMs. Assim, esta atividade objetiva apresentar e discutir, sob a ótica da evidência, a real função da terapia com placas, além da possível relação (ou não..) da atividade muscular e dor facial.
R$ 75,00
LL7 - ALTERNATIVAS CLÍNICAS PARA MINIMIZAR A DEGRADAÇÃO DA INTERFACE DE UNIÃO À DENTINA

Ministrador: Alessandro Dourado Loguercio - UEPG
Descrição: Objetivo: descrever basicamente os fatores envolvidos no processo de degradação da camada híbrida e discutir sobre as alternativas clínicas apresentadas na literatura para melhorar a resistência das interfaces adesivas diante o processo de degradação. Algumas considerações em relação às modificações na composição dos sistemas adesivos serão também abordadas nesta atividade. Sugere-se aos participantes a leitura do artigo Reis A, Carrilho M, Breschi L, Loguercio AD. Oper Dent. 2013 Jul-Aug;38(4):E1-E25.
R$ 75,00
LL7 - ALTERNATIVAS CLÍNICAS PARA MINIMIZAR A DEGRADAÇÃO DA INTERFACE DE UNIÃO À DENTINA

Ministrador: Alessandro Dourado Loguercio - UEPG
Descrição: Objetivo: descrever basicamente os fatores envolvidos no processo de degradação da camada híbrida e discutir sobre as alternativas clínicas apresentadas na literatura para melhorar a resistência das interfaces adesivas diante o processo de degradação. Algumas considerações em relação às modificações na composição dos sistemas adesivos serão também abordadas nesta atividade. Sugere-se aos participantes a leitura do artigo Reis A, Carrilho M, Breschi L, Loguercio AD. Oper Dent. 2013 Jul-Aug;38(4):E1-E25.
R$ 75,00
LL8 - EROSÃO DENTÁRIA: UMA VISÃO DAS ESTRATÉGIAS PREVENTIVAS MAIS ATUAIS E INOVADORAS NA ÁREA

Ministrador: Ana Carolina Magalhães - FOB-USP
Descrição: Estudos evidenciam uma diminuição na prevalência de lesões cariosas e um aumento no aparecimento de lesões não cariosas;dentre elas, temos o desgaste dentário que pode estar relacionado à erosão dentária. A prevalência desta patologia tem aumentado em crianças e adultos jovens, uma vez que os dentes são expostos frequentemente a agentes ácidos de origem extrínseca (alimentos ácidos, por exemplo) e/ou intrínseca(suco gástrico). Desta forma,estratégias para prevenir o desenvolvimento ou retardar a progressão da erosão dentária são de grande importância.As estratégias preventivas devem ser focadas nos fatores comportamentais, relacionados à forma e frequência de exposição aos agentes ácidos bem como hábitos de escovação que podem potencializar o desgaste;em fatores biológicos que são aqueles relacionados às características da estrutura dentária, às propriedades da saliva e película adquirida com uma abordagem mais recente em genética. E por fim,há os fatores químicosrelacionados ao potencial erosivo do agente (como por exemplo, tipo de ácido, pH e concentração de cálcio). As medidas preventivas devem ser atreladas ao diagnóstico precoce, com a diferenciação da erosão em relação às demais patologias e pela quantificação do grau de desgaste. Este "Lunch Learning"tem como objetivo discutir conceitos básicos sobre a erosão dentária e estratégias preventivas, guiando o clínico e pesquisador sobre o que há de mais atual e inovador nesta área, tais como o uso de fluoretos não convencionais (como o TiF4 e SnF2), inibidores de metaloproteinases (como clorexidina entre outros agentes) e remineralizaçãobiomimética (utilizando soluções supersaturadas em cálcio e fosfato), modificações da película adquirida (pelo conhecimento oriundo da análise proteômica e interação entre proteínas) e uso de polímeros (como a quitosana) associados ou não ao fluoreto.
R$ 75,00
LL8 - EROSÃO DENTÁRIA: UMA VISÃO DAS ESTRATÉGIAS PREVENTIVAS MAIS ATUAIS E INOVADORAS NA ÁREA

Ministrador: Ana Carolina Magalhães - FOB-USP
Descrição: Estudos evidenciam uma diminuição na prevalência de lesões cariosas e um aumento no aparecimento de lesões não cariosas;dentre elas, temos o desgaste dentário que pode estar relacionado à erosão dentária. A prevalência desta patologia tem aumentado em crianças e adultos jovens, uma vez que os dentes são expostos frequentemente a agentes ácidos de origem extrínseca (alimentos ácidos, por exemplo) e/ou intrínseca(suco gástrico). Desta forma,estratégias para prevenir o desenvolvimento ou retardar a progressão da erosão dentária são de grande importância.As estratégias preventivas devem ser focadas nos fatores comportamentais, relacionados à forma e frequência de exposição aos agentes ácidos bem como hábitos de escovação que podem potencializar o desgaste;em fatores biológicos que são aqueles relacionados às características da estrutura dentária, às propriedades da saliva e película adquirida com uma abordagem mais recente em genética. E por fim,há os fatores químicosrelacionados ao potencial erosivo do agente (como por exemplo, tipo de ácido, pH e concentração de cálcio). As medidas preventivas devem ser atreladas ao diagnóstico precoce, com a diferenciação da erosão em relação às demais patologias e pela quantificação do grau de desgaste. Este "Lunch Learning"tem como objetivo discutir conceitos básicos sobre a erosão dentária e estratégias preventivas, guiando o clínico e pesquisador sobre o que há de mais atual e inovador nesta área, tais como o uso de fluoretos não convencionais (como o TiF4 e SnF2), inibidores de metaloproteinases (como clorexidina entre outros agentes) e remineralizaçãobiomimética (utilizando soluções supersaturadas em cálcio e fosfato), modificações da película adquirida (pelo conhecimento oriundo da análise proteômica e interação entre proteínas) e uso de polímeros (como a quitosana) associados ou não ao fluoreto.
R$ 75,00
LL9 - "MADE IN CHINA" TO "ONE WORLD": A GLOBALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO SOBRE INIQUIDADES EM SAÚDE BUCAL E ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE.

Ministrador: Samuel Moysés - PUC-PR
Descrição: A Sessão lançará luzes sobre o tema das iniquidades em saúde bucal, mediante uma breve revisão crítico-histórica que corta o espaço-tempo, desde a China Imperial (dinastia Ming) até o Século XXI. Com exemplos práticos, dos campos da clínica e da epidemiologia, argumenta-se que a saúde bucal não resulta simplesmente de fatores biológicos, psicológicos e comportamentais de cada pessoa, isoladamente. É mais que isto. Resulta da combinação sinérgica, positiva e/ou negativa, de condições individuais e sociais criadas quando as pessoas interagem com o ambiente político-institucional, social, cultural e natural. A situação de saúde bucal expressa, em uma dimensão particular, a determinação ecossocial do processo saúde/doença. Assim, o gradiente social - que exprime a variabilidade injusta e evitável dos padrões de morbimortalidade - e que atinge transversalmente todas as populações, também se manifesta na área da saúde bucal. Serão apresentadas e discutidas estratégias para a promoção da saúde e prevenção das doenças bucais, destacando como prioridade as intervenções integradas, intersetoriais e colaborativas, voltadas para os fatores comuns de risco/proteção a várias doenças. Estas intervenções impõem uma agenda de pesquisas transdisciplinares, envolvendo as áreas básicas, clínicas e da saúde coletiva, com outras áreas disciplinares afins. Juntas, essas áreas estão desafiadas a enfrentar os problemas vigentes e oferecer respostas baseadas em evidência científica e orientar políticas públicas e linhas de cuidados em saúde mais resolutivas e com tecnologias inovadoras.
R$ 75,00
LL9 - "MADE IN CHINA" TO "ONE WORLD": A GLOBALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO SOBRE INIQUIDADES EM SAÚDE BUCAL E ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE.

Ministrador: Samuel Moysés - PUC-PR
Descrição: A Sessão lançará luzes sobre o tema das iniquidades em saúde bucal, mediante uma breve revisão crítico-histórica que corta o espaço-tempo, desde a China Imperial (dinastia Ming) até o Século XXI. Com exemplos práticos, dos campos da clínica e da epidemiologia, argumenta-se que a saúde bucal não resulta simplesmente de fatores biológicos, psicológicos e comportamentais de cada pessoa, isoladamente. É mais que isto. Resulta da combinação sinérgica, positiva e/ou negativa, de condições individuais e sociais criadas quando as pessoas interagem com o ambiente político-institucional, social, cultural e natural. A situação de saúde bucal expressa, em uma dimensão particular, a determinação ecossocial do processo saúde/doença. Assim, o gradiente social - que exprime a variabilidade injusta e evitável dos padrões de morbimortalidade - e que atinge transversalmente todas as populações, também se manifesta na área da saúde bucal. Serão apresentadas e discutidas estratégias para a promoção da saúde e prevenção das doenças bucais, destacando como prioridade as intervenções integradas, intersetoriais e colaborativas, voltadas para os fatores comuns de risco/proteção a várias doenças. Estas intervenções impõem uma agenda de pesquisas transdisciplinares, envolvendo as áreas básicas, clínicas e da saúde coletiva, com outras áreas disciplinares afins. Juntas, essas áreas estão desafiadas a enfrentar os problemas vigentes e oferecer respostas baseadas em evidência científica e orientar políticas públicas e linhas de cuidados em saúde mais resolutivas e com tecnologias inovadoras.
R$ 75,00
LL10 - TRATAMENTO ODONTOLÓGICO DE PESSOAS COM DOENÇAS SISTÊMICAS COMPLEXAS

Ministrador: Marina Gallottini - FOUSP
Descrição: O crescente e notável avanço científico e tecnológico da medicina faz com que pessoas com doenças e condições clinicamente complexas sobrevivam cada vez mais e melhor. É natural que esses indivíduos procurem os consultórios odontológicos. Promover saúde bucal bem como prestar tratamento curativo e preventivo a esse grupo peculiar de pessoas representa, hoje em dia, um grande desafio ao cirurgião dentista. O objetivo deste curso é atualizar os conhecimentos e habilidades dos dentistas em identificar e tratar pacientes clinicamente complexos. Ênfase é dada na avaliação do risco de determinado procedimento odontológico para o doente, e na avaliação das condições que podem exigir a modificação de determinada conduta odontológica. Exemplos de tópicos que serão abordados incluem orientações para atendimento odontológico de pacientes com diabetes, doenças cardio vasculares, doenças renais, e de pacientes com HIV.
R$ 75,00
LL10 - TRATAMENTO ODONTOLÓGICO DE PESSOAS COM DOENÇAS SISTÊMICAS COMPLEXAS

Ministrador: Marina Gallottini - FOUSP
Descrição: O crescente e notável avanço científico e tecnológico da medicina faz com que pessoas com doenças e condições clinicamente complexas sobrevivam cada vez mais e melhor. É natural que esses indivíduos procurem os consultórios odontológicos. Promover saúde bucal bem como prestar tratamento curativo e preventivo a esse grupo peculiar de pessoas representa, hoje em dia, um grande desafio ao cirurgião dentista. O objetivo deste curso é atualizar os conhecimentos e habilidades dos dentistas em identificar e tratar pacientes clinicamente complexos. Ênfase é dada na avaliação do risco de determinado procedimento odontológico para o doente, e na avaliação das condições que podem exigir a modificação de determinada conduta odontológica. Exemplos de tópicos que serão abordados incluem orientações para atendimento odontológico de pacientes com diabetes, doenças cardio vasculares, doenças renais, e de pacientes com HIV.
R$ 75,00

Dia 05/09/2015:



LL1 - TESTES CONVENCIONAIS E NOVAS FERRAMENTAS PARA AVALIAÇÃO DE PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS DE BIOMATERIAIS E CIMENTOS ENDODÔNTICOS

Ministrador: Mario Tanomaru-Filho - FOAr - UNESP
Descrição: Biomateriais e materiais endodônticos devem apresentar propriedades físico-químicas que correspondam aos padrões estabelecidos pela ISO e ADA. Novas metodologias podem ser utilizadas para avaliação de materiais. Serão discutidos métodos padronizados segundo normas ISO e ADA, além de modificações propostas e emprego de novas ferramentas como a Micro Tomografia Computadorizada (Micro-CT).
R$ 75,00
LL1 - TESTES CONVENCIONAIS E NOVAS FERRAMENTAS PARA AVALIAÇÃO DE PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS DE BIOMATERIAIS E CIMENTOS ENDODÔNTICOS

Ministrador: Mario Tanomaru-Filho - FOAr - UNESP
Descrição: Biomateriais e materiais endodônticos devem apresentar propriedades físico-químicas que correspondam aos padrões estabelecidos pela ISO e ADA. Novas metodologias podem ser utilizadas para avaliação de materiais. Serão discutidos métodos padronizados segundo normas ISO e ADA, além de modificações propostas e emprego de novas ferramentas como a Micro Tomografia Computadorizada (Micro-CT).
R$ 75,00
LL2 - O PASSADO, O PRESENTE E O FUTURO DAS CERÂMICAS ODONTOLÓGICAS

Ministrador: Marco Antonio Bottino - UNESP - FOSJC
Descrição: Os materiais cerâmicos nas últimas três décadas evoluiram muito na sua composição e nas técnicas de emprego desde as tradicionais estratificações até as técnicas de fresagem obtidas por equipamentos sofisticados de CAD-CAM, auxiliado pelos materiais e técnicas de adesão , passamos ter muita confiança nos sistemas cerâmicos. Nossa intenção é fazer uma retrospectivas dos materiais e suas indicações, bem como colocar em discussão nossa experiência em pesquisa e da aplicação na clínica dos materiais cerâmicos e os sistemas de adesão, concluindo, com a nossa opinião do futuro dos materiais cerâmico e o os mitos que foram criados.
R$ 75,00
LL2 - O PASSADO, O PRESENTE E O FUTURO DAS CERÂMICAS ODONTOLÓGICAS

Ministrador: Marco Antonio Bottino - UNESP - FOSJC
Descrição: Os materiais cerâmicos nas últimas três décadas evoluiram muito na sua composição e nas técnicas de emprego desde as tradicionais estratificações até as técnicas de fresagem obtidas por equipamentos sofisticados de CAD-CAM, auxiliado pelos materiais e técnicas de adesão , passamos ter muita confiança nos sistemas cerâmicos. Nossa intenção é fazer uma retrospectivas dos materiais e suas indicações, bem como colocar em discussão nossa experiência em pesquisa e da aplicação na clínica dos materiais cerâmicos e os sistemas de adesão, concluindo, com a nossa opinião do futuro dos materiais cerâmico e o os mitos que foram criados.
R$ 75,00
LL3 - CÁLCULO AMOSTRAL NA PESQUISA ODONTOLÓGICA

Ministrador: Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu - UFMG
Descrição: A determinação do número de participantes de uma pesquisa odontológica é uma questão crucial para que possamos responder, de forma adequada, a uma determinada questão de pesquisa. Por outro lado, amostras muitas grandes podem gerar problemas éticos e custos desnecessários. Desta forma, o cálculo amostral compõe uma importante etapa inicial da pesquisa odontológica. Nesta sessão, serão discutidos os princípios gerais do cálculo amostral, com ênfase na utilização de softwares para os principais métodos de cálculo amostral em estudos descritivos e analíticos em Odontologia.
R$ 75,00
LL3 - CÁLCULO AMOSTRAL NA PESQUISA ODONTOLÓGICA

Ministrador: Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu - UFMG
Descrição: A determinação do número de participantes de uma pesquisa odontológica é uma questão crucial para que possamos responder, de forma adequada, a uma determinada questão de pesquisa. Por outro lado, amostras muitas grandes podem gerar problemas éticos e custos desnecessários. Desta forma, o cálculo amostral compõe uma importante etapa inicial da pesquisa odontológica. Nesta sessão, serão discutidos os princípios gerais do cálculo amostral, com ênfase na utilização de softwares para os principais métodos de cálculo amostral em estudos descritivos e analíticos em Odontologia.
R$ 75,00
LL4 - DAS REVISTAS CIENTÍFICAS À PRÁTICA CLÍNICA: O LONGO E ACIDENTADO TRAJETO DAS REVISÕES SISTEMÁTICAS

Ministrador: Branca de Oliveira - UERJ
Descrição: Revisões sistemáticas são estudos que proporcionam o nível mais elevado de evidência para orientar a tomada de decisão com relação a intervenções preventivas e curativas. Entretanto, ainda que esses estudos sejam bem conduzidos e tenham os seus resultados publicados em revistas científicas de grande circulação, o trajeto da publicação à prática costuma ser longo e acidentado, tornando limitada a influência das revisões sistemáticas sobre a prática clínica e a formulação de políticas públicas. O objetivo desta sessão "Lunch Learning" é explorar aspectos metodológicos para a elaboração de revisões sistemáticas de qualidade elevada e discutir estratégias que possam aumentar o seu impacto científico e a sua repercussão clínica.
R$ 75,00
LL4 - DAS REVISTAS CIENTÍFICAS À PRÁTICA CLÍNICA: O LONGO E ACIDENTADO TRAJETO DAS REVISÕES SISTEMÁTICAS

Ministrador: Branca de Oliveira - UERJ
Descrição: Revisões sistemáticas são estudos que proporcionam o nível mais elevado de evidência para orientar a tomada de decisão com relação a intervenções preventivas e curativas. Entretanto, ainda que esses estudos sejam bem conduzidos e tenham os seus resultados publicados em revistas científicas de grande circulação, o trajeto da publicação à prática costuma ser longo e acidentado, tornando limitada a influência das revisões sistemáticas sobre a prática clínica e a formulação de políticas públicas. O objetivo desta sessão "Lunch Learning" é explorar aspectos metodológicos para a elaboração de revisões sistemáticas de qualidade elevada e discutir estratégias que possam aumentar o seu impacto científico e a sua repercussão clínica.
R$ 75,00
LL5 - MODULAÇÃO DA RESPOSTA DO HOSPEDEIRO E DOENÇA PERIODONTAL. O USO DE RESVERATROL SERIA UMA OPÇÃO?

Ministrador: Marcio Zafalon Casati - UNICAMP
Descrição: No contexto periodontal, modulação da resposta do hospedeiro significa modificar os aspectos prejudiciais da resposta inflamatória decorrente do desafio crônico proveniente do biofilme dental. Uma variedade de agentes farmacológicos têm sido estudados devido ao possível papel modulador da resposta do hospedeiro no tratamento da doença periodontal. Estes incluem anti-inflamatórios não esteróides, os bisfosfonatos e as tetraciclinas. No entanto, o uso sistêmico desses medicamentos pode estar frequentemente relacionado a efeitos colaterais graves. Neste contexto, princípios ativos alternativos que possam apresentar efeito biológico de modulação da resposta inflamatória, sem apresentar efeitos colaterais indesejáveis podem ser úteis para o tratamento de condições inflamatórias como a periodontite. O objetivo desta sessão será apresentar resultados provenientes de estudos que apontam o Resveratrol como uma opção terapêutica a ser usada, como terapia coadjuvante, no controle da doença periodontal.
R$ 75,00
LL5 - MODULAÇÃO DA RESPOSTA DO HOSPEDEIRO E DOENÇA PERIODONTAL. O USO DE RESVERATROL SERIA UMA OPÇÃO?

Ministrador: Marcio Zafalon Casati - UNICAMP
Descrição: No contexto periodontal, modulação da resposta do hospedeiro significa modificar os aspectos prejudiciais da resposta inflamatória decorrente do desafio crônico proveniente do biofilme dental. Uma variedade de agentes farmacológicos têm sido estudados devido ao possível papel modulador da resposta do hospedeiro no tratamento da doença periodontal. Estes incluem anti-inflamatórios não esteróides, os bisfosfonatos e as tetraciclinas. No entanto, o uso sistêmico desses medicamentos pode estar frequentemente relacionado a efeitos colaterais graves. Neste contexto, princípios ativos alternativos que possam apresentar efeito biológico de modulação da resposta inflamatória, sem apresentar efeitos colaterais indesejáveis podem ser úteis para o tratamento de condições inflamatórias como a periodontite. O objetivo desta sessão será apresentar resultados provenientes de estudos que apontam o Resveratrol como uma opção terapêutica a ser usada, como terapia coadjuvante, no controle da doença periodontal.
R$ 75,00
LL6 - LEUCOPLASIA VERRUCOSA PROLIFERATIVA: ONDE ESTAMOS?

Ministrador: Marcio Ajudarte Lopes - UNICAMP
Descrição: A leucoplasia verrucosa proliferativa é um sub-tipo de leucoplasia descritopela primeira vez em 1985 onde as lesões começam como leucoplasias convencionais e com o passar do tempo tornam-se multifocais e com aspecto verrucoso. Este tipo de leucoplasiaocorre principalmente em mulheres idosas e sem fatores de risco tradicionais como consumo de tabaco e bebidas alcoólicas. Caracteriza-se também por apresentar altas taxas de recidiva e de transformação maligna para carcinoma espinocelular. Apesar dessas características serem bem conhecidas e aceitas, existem muitas dúvidas principalmente com relação aos fatores etiológicos, critérios para diagnóstico e formas de tratamento. Sendo assim, o objetivo desta sessão é discutir os principais aspectos desta intrigante lesão.
R$ 75,00
LL6 - LEUCOPLASIA VERRUCOSA PROLIFERATIVA: ONDE ESTAMOS?

Ministrador: Marcio Ajudarte Lopes - UNICAMP
Descrição: A leucoplasia verrucosa proliferativa é um sub-tipo de leucoplasia descritopela primeira vez em 1985 onde as lesões começam como leucoplasias convencionais e com o passar do tempo tornam-se multifocais e com aspecto verrucoso. Este tipo de leucoplasiaocorre principalmente em mulheres idosas e sem fatores de risco tradicionais como consumo de tabaco e bebidas alcoólicas. Caracteriza-se também por apresentar altas taxas de recidiva e de transformação maligna para carcinoma espinocelular. Apesar dessas características serem bem conhecidas e aceitas, existem muitas dúvidas principalmente com relação aos fatores etiológicos, critérios para diagnóstico e formas de tratamento. Sendo assim, o objetivo desta sessão é discutir os principais aspectos desta intrigante lesão.
R$ 75,00
LL7 - REVISÕES SISTEMÁTICAS: DO PROJETO À PUBLICAÇÃO.

Ministrador: Lucianne Cople Maia - UFRJ
Descrição: Resumo - Revisões sistemáticas são estudos secundários que visam combinar dados de estudos primários já publicados ou em fase de execução. Sua elaboração baseia-se em uma série de etapas que devem ser seguidas de forma sistematizada. Embora existam inúmeras vantagens em estudos de revisão sistemática, pesquisadores da área de Odontologia ainda tem encontrado dificuldades em compreender os princípios básicos e etapas para a sua elaboração. Assim, o objetivo desta sessão de "Lunch Learning" é discutir, as etapas de construção das revisões sistemáticas, com ou sem metanálies, bem como motivar e auxiliar pesquisadores a delinearem e desenvolverem seus projetos de revisão, visando futuramente, a publicação de artigo científico desta natureza em revistas de alto impacto.
R$ 75,00
LL7 - REVISÕES SISTEMÁTICAS: DO PROJETO À PUBLICAÇÃO.

Ministrador: Lucianne Cople Maia - UFRJ
Descrição: Resumo - Revisões sistemáticas são estudos secundários que visam combinar dados de estudos primários já publicados ou em fase de execução. Sua elaboração baseia-se em uma série de etapas que devem ser seguidas de forma sistematizada. Embora existam inúmeras vantagens em estudos de revisão sistemática, pesquisadores da área de Odontologia ainda tem encontrado dificuldades em compreender os princípios básicos e etapas para a sua elaboração. Assim, o objetivo desta sessão de "Lunch Learning" é discutir, as etapas de construção das revisões sistemáticas, com ou sem metanálies, bem como motivar e auxiliar pesquisadores a delinearem e desenvolverem seus projetos de revisão, visando futuramente, a publicação de artigo científico desta natureza em revistas de alto impacto.
R$ 75,00
LL8 - AÇÚCAR E CÁRIE: NOVAS EVIDÊNCIAS PARA EMBASAR A PRÁTICA CLÍNICA

Ministrador: Carlos Alberto Feldens - ULBRA
Descrição: A prática clínica deve estar embasada em estudos de alta qualidade metodológica para que os procedimentos de prevenção, controle e tratamento sejam efetivos. Embora o açúcar seja relacionado à ocorrência de cárie dentária desde a metade do século passado, profissionais de saúde bucal em geral não orientam os pacientes quanto ao consumo racional ou o fazem com pouca segurança. Esta palestra objetiva apresentar as evidências atuais sobre o tema e propor orientações em nível individual e coletivo que levem em consideração a estratégia de fatores de risco comuns a diferentes doenças. Desta forma, pretende-se aliar orientações quanto ao uso de açúcar com outras medidas de controle da doença cárie e ao mesmo tempo contribuir para a redução de desfechos de saúde geral.
R$ 75,00
LL8 - AÇÚCAR E CÁRIE: NOVAS EVIDÊNCIAS PARA EMBASAR A PRÁTICA CLÍNICA

Ministrador: Carlos Alberto Feldens - ULBRA
Descrição: A prática clínica deve estar embasada em estudos de alta qualidade metodológica para que os procedimentos de prevenção, controle e tratamento sejam efetivos. Embora o açúcar seja relacionado à ocorrência de cárie dentária desde a metade do século passado, profissionais de saúde bucal em geral não orientam os pacientes quanto ao consumo racional ou o fazem com pouca segurança. Esta palestra objetiva apresentar as evidências atuais sobre o tema e propor orientações em nível individual e coletivo que levem em consideração a estratégia de fatores de risco comuns a diferentes doenças. Desta forma, pretende-se aliar orientações quanto ao uso de açúcar com outras medidas de controle da doença cárie e ao mesmo tempo contribuir para a redução de desfechos de saúde geral.
R$ 75,00
LL9 - ESTUDOS EM PERIIMPLANTITE: ESTÁGIO ATUAL E PERSPECTIVAS FUTURAS

Ministrador: Elcio Marcantonio Junior - FOAR-UNESP
Descrição: A evolução da implantodontia ajudou em muito a reabilitação de pacientes total ou parcialmente edêntulos, propiciando melhora na qualidade de vida de parcela significativa da população. No início a ênfase era na capacidade de osseointegração e de sobrevivência dos implantes. Vencidas esta etapas, com o passar dos anos apresentou-se maior preocupação com outros critérios de sucesso, principalmente os que garantiriam longevidade para as reabilitações implantossuportadas e saúde para os pacientes. Estudos mais recentes têm mostrado uma incidência preocupante, tanto de mucosite, como de periimplantite nos pacientes, que podem levar ao fracasso dos implantes. Além disto e mais importante, é sabido que processos inflamatórios crônicos apresentam uma série de potenciais problemas de saúde aos pacientes. Não obstante haja uma quantidade considerável de trabalhos abordando o tema das periimplantites, ainda há uma grande lacuna no conhecimento a respeito de vários aspectos, tais como fatores coadjuvantes, métodos e eficácia de tratamento, influência dos sistemas de implantes e próteses, efeito e impacto a longo prazo, dentre outros. O objetivo desta sessão será discutir o estágio atual das pesquisas neste campo e propor temas a serem estudados.
R$ 75,00
LL9 - ESTUDOS EM PERIIMPLANTITE: ESTÁGIO ATUAL E PERSPECTIVAS FUTURAS

Ministrador: Elcio Marcantonio Junior - FOAR-UNESP
Descrição: A evolução da implantodontia ajudou em muito a reabilitação de pacientes total ou parcialmente edêntulos, propiciando melhora na qualidade de vida de parcela significativa da população. No início a ênfase era na capacidade de osseointegração e de sobrevivência dos implantes. Vencidas esta etapas, com o passar dos anos apresentou-se maior preocupação com outros critérios de sucesso, principalmente os que garantiriam longevidade para as reabilitações implantossuportadas e saúde para os pacientes. Estudos mais recentes têm mostrado uma incidência preocupante, tanto de mucosite, como de periimplantite nos pacientes, que podem levar ao fracasso dos implantes. Além disto e mais importante, é sabido que processos inflamatórios crônicos apresentam uma série de potenciais problemas de saúde aos pacientes. Não obstante haja uma quantidade considerável de trabalhos abordando o tema das periimplantites, ainda há uma grande lacuna no conhecimento a respeito de vários aspectos, tais como fatores coadjuvantes, métodos e eficácia de tratamento, influência dos sistemas de implantes e próteses, efeito e impacto a longo prazo, dentre outros. O objetivo desta sessão será discutir o estágio atual das pesquisas neste campo e propor temas a serem estudados.
R$ 75,00
LL10 - ESTRATÉGIAS PARA A INSERÇÃO DE UM JOVEM PESQUISADOR EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Ministrador: Adriana Porto Carreiro - UFRN
Descrição: O jovem pesquisador enfrenta dificuldades ao iniciar a sua carreira após a conclusão da pós-graduação. Apesar de dispormos de bons programas atuando na formação do professor e pesquisador, a fase de transição após a conclusão da pós-graduação e ao ingressar em um programa como pesquisador envolve um período de adaptação. As principais dificuldades enfrentadas estão relacionadas a limitações de infra-estrutura e integração com o corpo docente. O jovem pesquisador pode inserir-se em uma linha do programa ou criar uma nova linha. Para isso, é importante que estabeleça parcerias com sua instituição de formação e que submeta propostas aos editais disponíveis. Nesse sentido, a nossa proposta é discutir estratégias para a inserção de um jovem pesquisador em programas de pós-graduação.
R$ 75,00
LL10 - ESTRATÉGIAS PARA A INSERÇÃO DE UM JOVEM PESQUISADOR EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Ministrador: Adriana Porto Carreiro - UFRN
Descrição: O jovem pesquisador enfrenta dificuldades ao iniciar a sua carreira após a conclusão da pós-graduação. Apesar de dispormos de bons programas atuando na formação do professor e pesquisador, a fase de transição após a conclusão da pós-graduação e ao ingressar em um programa como pesquisador envolve um período de adaptação. As principais dificuldades enfrentadas estão relacionadas a limitações de infra-estrutura e integração com o corpo docente. O jovem pesquisador pode inserir-se em uma linha do programa ou criar uma nova linha. Para isso, é importante que estabeleça parcerias com sua instituição de formação e que submeta propostas aos editais disponíveis. Nesse sentido, a nossa proposta é discutir estratégias para a inserção de um jovem pesquisador em programas de pós-graduação.
R$ 75,00

Dia 06/09/2015:



LL1 - Contração de polimerização de resinas compostas e cimentos resinosos - Como estudar e como minimizar seus efeitos

Ministrador: Carlos José Soares - UFU
Descrição: Mesmo frente a marcante evolução das resinas compostas e cimentos resinosos estes materiais apresentam característica intrínseca de contração de polimerização com reflexos clínicos diretos como a sensibilidade pós-operatória, fendas marginais, trincas em esmalte, pigmentação de margem e cárie secundária. Os métodos de pesquisa que avaliam a contração de polimerização diretamente e as vias indiretas de avaliar os seus efeitos decorrentes das tensões de contração podem auxiliar no entendimento destes fenômenos. O objetivo desta atividade é de discutir aspectos que determinam a contração de polimerização, como controlar seus efeitos e principalmente auxiliar os pesquisadores em como analisar tanto experimentalmente como por meio de ferramentas computacionais como o Método de Elementos Finitos as tensões de contração de polimerização destes materiais. Nesta atividades discutiremos aspectos de inovação de novas resinas "bulk fill", métodos de inserção e fotoativação de resinas compostas em dentes posteriores, cuidados na ativação de cimentos resinosos ao cimentar restaurações cerâmicas em dentes vitalizados e protocolos restauradores em dentes tratados endodonticamente. Buscando melhor entender os efeitos da contração de polimerização e quais estratégias utilizar para minimizar seus efeitos.
R$ 75,00
LL1 - Contração de polimerização de resinas compostas e cimentos resinosos - Como estudar e como minimizar seus efeitos

Ministrador: Carlos José Soares - UFU
Descrição: Mesmo frente a marcante evolução das resinas compostas e cimentos resinosos estes materiais apresentam característica intrínseca de contração de polimerização com reflexos clínicos diretos como a sensibilidade pós-operatória, fendas marginais, trincas em esmalte, pigmentação de margem e cárie secundária. Os métodos de pesquisa que avaliam a contração de polimerização diretamente e as vias indiretas de avaliar os seus efeitos decorrentes das tensões de contração podem auxiliar no entendimento destes fenômenos. O objetivo desta atividade é de discutir aspectos que determinam a contração de polimerização, como controlar seus efeitos e principalmente auxiliar os pesquisadores em como analisar tanto experimentalmente como por meio de ferramentas computacionais como o Método de Elementos Finitos as tensões de contração de polimerização destes materiais. Nesta atividades discutiremos aspectos de inovação de novas resinas "bulk fill", métodos de inserção e fotoativação de resinas compostas em dentes posteriores, cuidados na ativação de cimentos resinosos ao cimentar restaurações cerâmicas em dentes vitalizados e protocolos restauradores em dentes tratados endodonticamente. Buscando melhor entender os efeitos da contração de polimerização e quais estratégias utilizar para minimizar seus efeitos.
R$ 75,00
LL2 - Biofilme dental: Porque, quando e como fazer a análise química da porção sólida e do fluido?

Ministradora: Livia M A Tenuta - UNICAMP
Descrição: Para o estudo das doenças bucais mediadas por biofilmes, a análise da composição química do biofilme dental pode ser importante para trazer respostas inéditas visando a compreensão de seus mecanismos. A composição química do biofilme é influenciada por fatores da dieta, dos fluidos bucais (saliva/fluido gengival) e pela exposição a agentes externos (p.ex., produtosfluoretados). Para a análise de sua composição química, o biofilme pode ser dividido em porções sólida (material ligado a bactérias e matriz do biofilme) e fluida (porção aquosa que permeia as bactérias e a matriz do biofilme, por meio do qual ocorrem as interações entre a estrutura dental e o meio bucal). O objetivo dessa apresentação é desvendar as indicações e metodologias envolvidas nas análises químicas do biofilme dental. Serão apresentadas as razões para realizar a análise do biofilme, quando e como fazer, incluindo as formas de coleta do biofilme e sua influência sobre os resultados, as formas de separação da porção fluida e sólida do biofilme, bem como metodologias macro e microanalíticas necessárias para análises do pH, das concentrações de íons minerais (cálcio, fosfato e fluido) e de polissacarídeos no biofilme dental.
R$ 75,00
LL2 - Biofilme dental: Porque, quando e como fazer a análise química da porção sólida e do fluido?

Ministradora: Livia M A Tenuta - UNICAMP
Descrição: Para o estudo das doenças bucais mediadas por biofilmes, a análise da composição química do biofilme dental pode ser importante para trazer respostas inéditas visando a compreensão de seus mecanismos. A composição química do biofilme é influenciada por fatores da dieta, dos fluidos bucais (saliva/fluido gengival) e pela exposição a agentes externos (p.ex., produtosfluoretados). Para a análise de sua composição química, o biofilme pode ser dividido em porções sólida (material ligado a bactérias e matriz do biofilme) e fluida (porção aquosa que permeia as bactérias e a matriz do biofilme, por meio do qual ocorrem as interações entre a estrutura dental e o meio bucal). O objetivo dessa apresentação é desvendar as indicações e metodologias envolvidas nas análises químicas do biofilme dental. Serão apresentadas as razões para realizar a análise do biofilme, quando e como fazer, incluindo as formas de coleta do biofilme e sua influência sobre os resultados, as formas de separação da porção fluida e sólida do biofilme, bem como metodologias macro e microanalíticas necessárias para análises do pH, das concentrações de íons minerais (cálcio, fosfato e fluido) e de polissacarídeos no biofilme dental.
R$ 75,00
LL3 - COMPORTAMENTO BIOMECÂNICO DAS RESINAS COMPOSTAS MODULADORAS DE TENSÃO (BULK-FILL)

Ministrador: Mario Fernando de Goes - UNICAMP
Descrição: A grande preocupação dos clínicos durante o procedimento restaurador está relacionada à tensão gerada pela contração de polimerização das resinas compostas. No geral, a contração volumétrica varia entre 2-3% para as resinas compostas tradicionais e 6% no caso das resinas compostas fluídas.A magnitude da tensão é influenciada pelo tipo de monômero, conteúdo de partículas inorgânicas, cinética de polimerização, grau de conversão e modulo de elasticidade.Como todos os tipos de resina composta, independente da sua consistência, apresenta contração durante a polimerização, atensão produzida traz como consequência váriosproblemas clínicos. Uma das soluções foi desenvolvimento monômeros derivados ou não do metacrilato combaixa ou nenhuma contração durante a polimerização.A tecnologia fundamentada na incorporação de moléculas, na cadeia monomérica, que são capazes modular (absorver) as tensões geradas durante a reação química, resultou em uma classe de resinas compostas denominadas Bulk-fill. Clinicamente esse tipo de material permite ser inserido na cavidade em camadas de 4 a 6 mm de espessura e fotoativada com a mesma exposição radiante usada para camadas de 2mm das resinas compostas tradicionais.Assim, o objetivo deste trabalho será discutir o comportamento biomecânico das resinas compostas tipo Bulk-fillem relação às diferentes formulações e propriedades que tem influencia direta na técnica restauradora e desempenho clínico.
R$ 75,00
LL3 - COMPORTAMENTO BIOMECÂNICO DAS RESINAS COMPOSTAS MODULADORAS DE TENSÃO (BULK-FILL)

Ministrador: Mario Fernando de Goes - UNICAMP
Descrição: A grande preocupação dos clínicos durante o procedimento restaurador está relacionada à tensão gerada pela contração de polimerização das resinas compostas. No geral, a contração volumétrica varia entre 2-3% para as resinas compostas tradicionais e 6% no caso das resinas compostas fluídas.A magnitude da tensão é influenciada pelo tipo de monômero, conteúdo de partículas inorgânicas, cinética de polimerização, grau de conversão e modulo de elasticidade.Como todos os tipos de resina composta, independente da sua consistência, apresenta contração durante a polimerização, atensão produzida traz como consequência váriosproblemas clínicos. Uma das soluções foi desenvolvimento monômeros derivados ou não do metacrilato combaixa ou nenhuma contração durante a polimerização.A tecnologia fundamentada na incorporação de moléculas, na cadeia monomérica, que são capazes modular (absorver) as tensões geradas durante a reação química, resultou em uma classe de resinas compostas denominadas Bulk-fill. Clinicamente esse tipo de material permite ser inserido na cavidade em camadas de 4 a 6 mm de espessura e fotoativada com a mesma exposição radiante usada para camadas de 2mm das resinas compostas tradicionais.Assim, o objetivo deste trabalho será discutir o comportamento biomecânico das resinas compostas tipo Bulk-fillem relação às diferentes formulações e propriedades que tem influencia direta na técnica restauradora e desempenho clínico.
R$ 75,00
LL4 - COMPORTAMENTO MECÂNICO DE CERÂMICAS DENTÁRIAS: RESISTÊNCIA, FADIGA E SIMULAÇÃO DA MASTIGAÇÃO

Ministrador: Paulo Francisco Cesar - FOUSP
Descrição:
Apesar da grande evolução tecnológica das cerâmicas dentárias nos últimos anos, as próteses totalmente cerâmicas ainda apresentam uma significativa taxa de fratura clínica que impede a sua indicação irrestrita. O objetivo desta atividade será comparar o comportamento mecânico das diferentes cerâmicas dentárias disponíveis no mercado para produção de próteses parciais fixas. Serão estabelecidos critérios científicos para a indicação dos diversos materiais nas diferentes situações clínicas. Como exemplo de comparação, abordaremos a indicação das coroas de zircônia monolítica versus coroas de zircônia recoberta com porcelana. A discussão em relação ao comportamento mecânico se dará com base nas propriedades de resistência e comportamento de fadiga das cerâmicas dentárias. Adicionalmente, discutiremos as melhores formas de simular a mastigação "in-vitro" para que se possa prever o comportamento mecânico desses materiais a longo prazo na cavidade bucal.
R$ 75,00
LL4 - COMPORTAMENTO MECÂNICO DE CERÂMICAS DENTÁRIAS: RESISTÊNCIA, FADIGA E SIMULAÇÃO DA MASTIGAÇÃO

Ministrador: Paulo Francisco Cesar - FOUSP
Descrição:
Apesar da grande evolução tecnológica das cerâmicas dentárias nos últimos anos, as próteses totalmente cerâmicas ainda apresentam uma significativa taxa de fratura clínica que impede a sua indicação irrestrita. O objetivo desta atividade será comparar o comportamento mecânico das diferentes cerâmicas dentárias disponíveis no mercado para produção de próteses parciais fixas. Serão estabelecidos critérios científicos para a indicação dos diversos materiais nas diferentes situações clínicas. Como exemplo de comparação, abordaremos a indicação das coroas de zircônia monolítica versus coroas de zircônia recoberta com porcelana. A discussão em relação ao comportamento mecânico se dará com base nas propriedades de resistência e comportamento de fadiga das cerâmicas dentárias. Adicionalmente, discutiremos as melhores formas de simular a mastigação "in-vitro" para que se possa prever o comportamento mecânico desses materiais a longo prazo na cavidade bucal.
R$ 75,00
LL5 - Expressão e atividade de enzimas endógenas na progressão das lesões de cárie

Ministradora: Marcela Carrilho - UNINOVE
Descrição:
A matriz orgânica da dentina humana madura, composta majoritariamente por uma rede de fibrilas de colágeno tipo I, é exposta por desmineralização ácida durante os seguintes eventos: evolução das lesões de cárie, em lesões de erosão não-cariosas ou durante condicionamento do tecido previamente ao tratamento restaurador com compósitos de resina. Quando exposta e não devidamente protegida ou selada por biomateriais, a matriz orgânica da dentina torna-se susceptível à degradação hidrolítica. Há pouco mais de 10 anos, pesquisas têm tentado estabelecer uma relação entre a expressão e atividade de enzimas proteolíticas do hospedeiro e a degradação da matriz orgânica da dentina nas situações clínicas supracitadas de exposição desta matriz. Neste encontro serão analisados os resultados de publicações recentes que demonstram que a inibição de proteases endógenas pode contribuir significativamente com a preservação da integridade da matriz orgânica da dentina, o que em última análise teria efeito positivo tanto no controle da progressão de lesões cariosas e não-cariosas, como também na durabilidade de interfaces adesivas. Nesta apresentação também serão discutidos possíveis impactos decorrentes, em longo prazo, da preservação e inclusão da dentina afetada por cárie em restaurações adesivas. Na dentina parcialmente desmineralizada, proteases com a capacidade de clivar as extremidades terminais não helicoidais das moléculas de colágeno (telopéptidos) poderiam induzir a perda gradual de suas áreas de "gap intramolecular", levando a perda de sua característica morfológica estriada. Uma vez que esses eventos ocorram, uma conseqüência natural seria o comprometimento da capacidade da matriz de dentina à remineralização intrafibrilar, um mecanismo que é considerado essencial para a restauração das propriedades mecânicas da dentina. Em síntese, esta apresentação procurará discutir o estado da arte relativo ao envolvimento das proteases endógenas na atividade metabólica da dentina humana.
R$ 75,00
LL5 - Expressão e atividade de enzimas endógenas na progressão das lesões de cárie

Ministradora: Marcela Carrilho - UNINOVE
Descrição:
A matriz orgânica da dentina humana madura, composta majoritariamente por uma rede de fibrilas de colágeno tipo I, é exposta por desmineralização ácida durante os seguintes eventos: evolução das lesões de cárie, em lesões de erosão não-cariosas ou durante condicionamento do tecido previamente ao tratamento restaurador com compósitos de resina. Quando exposta e não devidamente protegida ou selada por biomateriais, a matriz orgânica da dentina torna-se susceptível à degradação hidrolítica. Há pouco mais de 10 anos, pesquisas têm tentado estabelecer uma relação entre a expressão e atividade de enzimas proteolíticas do hospedeiro e a degradação da matriz orgânica da dentina nas situações clínicas supracitadas de exposição desta matriz. Neste encontro serão analisados os resultados de publicações recentes que demonstram que a inibição de proteases endógenas pode contribuir significativamente com a preservação da integridade da matriz orgânica da dentina, o que em última análise teria efeito positivo tanto no controle da progressão de lesões cariosas e não-cariosas, como também na durabilidade de interfaces adesivas. Nesta apresentação também serão discutidos possíveis impactos decorrentes, em longo prazo, da preservação e inclusão da dentina afetada por cárie em restaurações adesivas. Na dentina parcialmente desmineralizada, proteases com a capacidade de clivar as extremidades terminais não helicoidais das moléculas de colágeno (telopéptidos) poderiam induzir a perda gradual de suas áreas de "gap intramolecular", levando a perda de sua característica morfológica estriada. Uma vez que esses eventos ocorram, uma conseqüência natural seria o comprometimento da capacidade da matriz de dentina à remineralização intrafibrilar, um mecanismo que é considerado essencial para a restauração das propriedades mecânicas da dentina. Em síntese, esta apresentação procurará discutir o estado da arte relativo ao envolvimento das proteases endógenas na atividade metabólica da dentina humana.
R$ 75,00
LL6 - Produtos Naturais em Pesquisa Odontológica: delineamento experimental, limites, ética, patente e perspectivas futuras

Ministrador: Pedro Luiz Rosalen - FOP/Unicamp
Descrição:
Os produtos naturais possuidores de moléculas ativas com função biológica são alvos potenciais para geração de novos produtos, patentes e inovação. Levantamento dos últimos 30 anos feito pelo NIH/EUA mostrou que cerca de 50% dos medicamentos registrados para comercialização provém de produtos naturais, ou sintéticos e semi-sintéticos diretamente originados do primeiro. O objetivo desta atividade é apresentar aos participantes métodos científicos rastreáveis para bioprospecção de produtos naturais com propriedades biológicas e terapêuticas. Os delineamentos metodológicos apresentados serão baseados em estudos bioguiados para investigação de produtos naturais, co-produtos, e metabólitos, e de forma sustentável, ética e multidisciplinar de aplicação em estudos básicos e clínicos em Odontologia, com a finalidade de elucidar biomoléculas. Com o desenvolvimento dos delineamentos, os resultados obtidos e suas interfaces, serão agregados valiosos às biomoléculas, identificadas ao longo de toda a cadeia de bioprospecção, que poderão culminar com a proposição de produtos com finalidades preventivas, terapêuticas ou diagnósticas em Odontologia.
R$ 75,00
LL6 - Produtos Naturais em Pesquisa Odontológica: delineamento experimental, limites, ética, patente e perspectivas futuras

Ministrador: Pedro Luiz Rosalen - FOP/Unicamp
Descrição:
Os produtos naturais possuidores de moléculas ativas com função biológica são alvos potenciais para geração de novos produtos, patentes e inovação. Levantamento dos últimos 30 anos feito pelo NIH/EUA mostrou que cerca de 50% dos medicamentos registrados para comercialização provém de produtos naturais, ou sintéticos e semi-sintéticos diretamente originados do primeiro. O objetivo desta atividade é apresentar aos participantes métodos científicos rastreáveis para bioprospecção de produtos naturais com propriedades biológicas e terapêuticas. Os delineamentos metodológicos apresentados serão baseados em estudos bioguiados para investigação de produtos naturais, co-produtos, e metabólitos, e de forma sustentável, ética e multidisciplinar de aplicação em estudos básicos e clínicos em Odontologia, com a finalidade de elucidar biomoléculas. Com o desenvolvimento dos delineamentos, os resultados obtidos e suas interfaces, serão agregados valiosos às biomoléculas, identificadas ao longo de toda a cadeia de bioprospecção, que poderão culminar com a proposição de produtos com finalidades preventivas, terapêuticas ou diagnósticas em Odontologia.
R$ 75,00
LL7 - Tratamento restaurador de lesões de cárie (medias e profundas)

Ministradora: Marisa Maltz. UFRGS
Descrição:
Uma etapa importante no tratamento de lesões profundas de cárie é a remoção de tecido cariado. O objetivo desta atividade será a discussão das diferentes estratégias de remoção de tecido cariado baseado no crescente número de estudos (microbiológicos, clínicos, ECR) e de revisões sistemáticas. Serão abordadas as técnicas de remoção de tecido cariado nos diferentes estágios das lesões cavitadas e suas consequências na longevidade do tratamento restaurador e na proservação da vitalidade pulpar.
R$ 75,00
LL7 - Tratamento restaurador de lesões de cárie (medias e profundas)

Ministradora: Marisa Maltz. UFRGS
Descrição:
Uma etapa importante no tratamento de lesões profundas de cárie é a remoção de tecido cariado. O objetivo desta atividade será a discussão das diferentes estratégias de remoção de tecido cariado baseado no crescente número de estudos (microbiológicos, clínicos, ECR) e de revisões sistemáticas. Serão abordadas as técnicas de remoção de tecido cariado nos diferentes estágios das lesões cavitadas e suas consequências na longevidade do tratamento restaurador e na proservação da vitalidade pulpar.
R$ 75,00
LL8 - Implicações estéticas e funcionais das maloclusões: da infância à idade adulta

Ministrador: Leandro Silva Marques - UFVJM
Descrição:
A maloclusão pode promover alterações na fala, mastigação, deglutição e disfunções na ATM. Além disso, pode prejudicar a interação social e o bem-estar psicológico dos indivíduos acometidos. Por outro lado, a aplicação dos resultados das pesquisas produzidas na prática clínica de Odontopediatras e Ortodontistas é complexa e ainda não está inteiramente compreendida. O objetivo desta atividade é apresentar os principais aspectos metodológicos das pesquisas atuais (ECR, Revisões sistemáticas e metanálises), com foco nos desenhos de estudo, representatividade e qualidade das evidências. Adicionalmente, serão discutidas diferentes abordagens de como aplicar as evidências disponíveis na prática clínica considerando o sucesso do tratamento ortodôntico na infância, adolescência e idade adulta.
R$ 75,00
LL8 - Implicações estéticas e funcionais das maloclusões: da infância à idade adulta

Ministrador: Leandro Silva Marques - UFVJM
Descrição:
A maloclusão pode promover alterações na fala, mastigação, deglutição e disfunções na ATM. Além disso, pode prejudicar a interação social e o bem-estar psicológico dos indivíduos acometidos. Por outro lado, a aplicação dos resultados das pesquisas produzidas na prática clínica de Odontopediatras e Ortodontistas é complexa e ainda não está inteiramente compreendida. O objetivo desta atividade é apresentar os principais aspectos metodológicos das pesquisas atuais (ECR, Revisões sistemáticas e metanálises), com foco nos desenhos de estudo, representatividade e qualidade das evidências. Adicionalmente, serão discutidas diferentes abordagens de como aplicar as evidências disponíveis na prática clínica considerando o sucesso do tratamento ortodôntico na infância, adolescência e idade adulta.
R$ 75,00
LL9 - Odontologia Hospitalar baseada em evidências e perspectivas futuras de pesquisas

Ministrador: Paulo Sérgio da Silva Santos - FOB-USP
Descrição:
As publicações na área de Odontologia Hospitalar em periódicos internacionais surgiram em meados de 1950 e em âmbito nacional são bem mais recentes e datam de 1984 para o atual momento. Houve neste período um grande enfoque para a abordagem de pacientes neurologicamente comprometidos submetidos à anestesia geral para tratamento clínico geral odontológico, pacientes oncológicos e os internados em Unidades de Terapia Intensiva. Apesar de já existirem várias pesquisas, ainda restam perguntas comuns ao Cirurgião Dentista clínico que atua em ambiente hospitalar necessárias para o desenvolvimento de critérios e protocolos para uma atuação de excelência, principalmente em equipe multidisciplinar. As pesquisas mais relevantes e as que merecem estudos serão abordadas e discutidas neste momento importante de reunião de pesquisa odontológica nacional.
R$ 75,00
LL9 - Odontologia Hospitalar baseada em evidências e perspectivas futuras de pesquisas

Ministrador: Paulo Sérgio da Silva Santos - FOB-USP
Descrição:
As publicações na área de Odontologia Hospitalar em periódicos internacionais surgiram em meados de 1950 e em âmbito nacional são bem mais recentes e datam de 1984 para o atual momento. Houve neste período um grande enfoque para a abordagem de pacientes neurologicamente comprometidos submetidos à anestesia geral para tratamento clínico geral odontológico, pacientes oncológicos e os internados em Unidades de Terapia Intensiva. Apesar de já existirem várias pesquisas, ainda restam perguntas comuns ao Cirurgião Dentista clínico que atua em ambiente hospitalar necessárias para o desenvolvimento de critérios e protocolos para uma atuação de excelência, principalmente em equipe multidisciplinar. As pesquisas mais relevantes e as que merecem estudos serão abordadas e discutidas neste momento importante de reunião de pesquisa odontológica nacional.
R$ 75,00

 



32ª Reunião da SBPqO
04 a 07 de Setembro de 2015
Expo Dom Pedro Campinas

Av. Lineu Prestes, 2227 - Cid. Universítária - São Paulo - SP - CEP: 05508-000 - Tel./Fax: (11) 3091-7855 - sbpqo@sbpqo.org.br - Skype: sbpqo.secretaria2